Preparativos…

…. já falei da festa.. agora vou falar dos preparativos. Arrumar o vestido foi uma loucura. Sábado, às 8h30 estava na costureira acertando a bainha. Ficou lindo, modéstia à parte.

à tarde foi a vez do salão de beleza. Sim, fui ao salão, pelo menos uma vez no ano a gente tem que meter a mão no bolso e caprichar no visual. A festa e a amiga mereciam.

Bem, na verdade este post é só pra comentar do cabeleireiro/maquiador. Ele era uma figura. Sério. Lá pelas tantas ele disparou: “Agora é só rezar para a Nossa Senhora dos Cachos e torcer para seu cabelo ficar cacheadinho” Se vc fosse eu, o que pensaria? Pensei o seguinte “Como assim? To gastando os tubos e o cara não sabe se vai ficar bom? Que merda !” No fim, ficou bom. Claro que, como meu cabelo é bom (metidaaaa, to gastando né) os cachos caíram. Mas já era 2 da matina, já tinha bebido horrores e tal… vcs já sabem.

O maluco, ou maluca (nunca se sabe o sexo destas pessoas), se redimiu na hora da maquiagem. Ele disse que meus olhos são lindos, elogiou minha sobrancelha e… ainda disse que meus cílios são maravilhoso, longos, cheios e que muitas mulheres matariam para ter cílios assim. Disse ainda que algumas colocam implante nos cílios. Saí de lá me achando né.. com toda razão !!!

Anúncios

Dor no corpo… felicidade !

…. meu corpo dói. Parece que malhei horas a fio. Mas não, devo estar assim pela minha performance no casamento da Mariana e do Fábio. Sério, bebi muito prossecco, bebi demais. Dancei loucamente. Me acabei no funk. Acredite, não to brincando. Fui ao chão, chão, chão, várias vezes. E de salto.

Rodei de mãos dadas com um amigo. Sabe do que estou falando né? Daquela brincadeira de crianças de dar as mãos e ficar rodando até um cair para o lado. No nosso caso decidimos parar antes do mico e ficamos agarrados um tempo, doidos, tontos, um se apoiando no outro.

Sambei, dancei rock, bebi mais prossecco. Invadimos a grama. O segurança nos tirou de lá. Minha irmã caçula, Vanessa, que sempre foi de encher o pote. Ficava me regulando. Toda hora aparecia com um copo de refrigerante. Queria porque queria que eu largasse a taça. mas não larguei. Ou melhor, larguei depois que me agarrei com um gatinho, amigo do noivo. Mas foi por um bom motivo né.

Quando o gatinho foi pra casa, já no fim da festa, fui procurar minhas amigas e minha irmã. Estavam todas no carro comigo. Achei as amigas, mas uma delas… nada. Quarenta minutos depois de fofoca na mesa e nada. Gabi, preocupada, foi ao banheiro. Voltou mais preocupada. Nossa amiga estava trancada em uma das portinhas e não respondia.

A mulherada em peso rumou para o banheiro. Chegamos lá, berramos, batemos na porta e… depois de um tempinho ela reuniu forças e abriu a portinha. Sério, a gente ria tanto que nem conseguia ajudar. Ela estava sentada na privada dormindo. E com as calcinhas arriadas. Ela ficou lá por quase uma hora. Sensacional. Foi super divertido.

Bem, voltando à festa. Estava tudo lindo. A noiva pensou em todos os detalhes. Para se ter idéia, qdo o manobrista entregou o carro tinha um recadinho, um marcador de livro preso no retrovisor, um verso de Mário Quintana e o agradecimento dos noivos. Uma coisa fofa, um cuidado extremo. A decoração era primorosa, muitas flores, velas. O arranjo das mesas. A comida, a bebida e, claro, o vestido da noiva. Era lindo. Depois vou colocar umas fotos no orkut. Quem for curioso pode dar uma espiada.

Esporro

Hj tomei esporro da minha amiga Karla. Ela reclamou que não to atualizando o blog devidamente. Ela está certíssima em reclamar. Mas minha ausência tem um motivo: mudanças.

Sim, mudei de casa, finalmente! Está tudo bagunçado, revirado. São caixas e mais caixas espalhadas. Para vc, leitor, ter idéia, só hj pela manhã achei meu computador. Passei o fim de semana triste, até chorei, pensando que jamais veria minha máquina.

Dormi até no sofá. Estava tão incomodada que não conseguia parar na cama. Ficava pensando nos textos que ali estão, em como não tenho backup deles. Prometi que, caso o computador aparecesse, eu iria publicar todos. Causarei uma certa polêmica, é verdade. Mas decidi colocar na roda, tornar público. Assim, caso algo perca a máquina terei os textos preservados, na rede, intactos e ao alcance do google.