ahahaha

o Zé Simão é foda mesmo.Olha a pérola da coluna dele na Folha hj “E a Suzana Vieira? Mistura de Donatella Versace com mortadela. Mortadella Versace. A Mãe Loura do Funk! A Cuca do “Sítio do Picapau Amarelo”! Rarará! “

AMEI !!!!!

lamentável….

… a decisão da Alerj de mandar soltar Álvaro Lins. Corporativismo bizarro. Todos com rabo preso… só queria saber ao certo o que foi acertado entre os pares para que esta decisão fosse tomada…

Fica a frase do dia: “Brasil ? Fraude explica” Carlito Maia.”

Me leva amor….

… amor… por onde for quero ser seu par !!!!!!!!!!! Coloquei este trecho de Andanças pq ontem a noite foi maravilhosa !!! O show de Beth Carvalho no Circo foi o máximo. Tava cheio de gente bonita, todo mundo cantava, dançava. Até coreografias rolaram na pista do Circo. Eu, claro, participei. Dancei tanto que dei um jeito na coluna, coisa de velha rs. Sem contar que a abertura do show foi com o Galocantô. Perfeito.

Aêêêêêêê

Mais uma colaboração da jornalista e amiga karla Rúbia:

Afinal, onde fica o tal Reino da Caveira de Cristal?

Esta é para quem já teve o prazer (?) de assistir ao incansável Harrison Ford no novo Indiana Jones. Na sua opinião, onde fica o Reino da Caveira de Cristal, que dá nome ao filme? Vou dar três opções: a) na Amazônia; b) em Machu Picchu; c) nas Cataratas do Iguaçu.

Sugeri o mesmo desafio aos amigos que foram ao cinema assistir à quarta aventura do herói do chicote e ninguém soube responder. Aliás, uma chegou a dizer que o tal reino era o da Xuxa, porque era de cristal. Risos à parte, vamos combinar que o filme é mais uma alucinação do Spielberg, que depois desta película carimbou de vez seu passaporte para o centro psiquiátrico mais perto de Hollywood. O dele e de todos os roteiristas que nem se deram ao trabalho de fazer uma pesquisa sobre o que é e onde fica esta tal Floresta Amazônica.

Tá certo que o filme já é o sexto em renda em menos de uma semana após ter sido lançado, mas o tal brinca com a inteligência do telespectador. Ou será que não devemos mencionar este detalhe quando se fala em filme de ação? Sim, porque foi isso que li nas críticas sobre o lançamento. Que o sexagenário Ford (que, aliás, envelhece bem como vinho) pilotava uma aventura comparável a um James Bond. Até aí, morreu Neves.

Pensei: isso quer dizer que temos que ir dispostos a qualquer absurdo à la aventuras do cara que ao som do Duran Duran nunca morre. Só que não pensei que Indiana fosse tão longe. Chega a ser sacanagem com o cara que é fã da trilogia inicial e tem um mínimo de sensibilidade. Ou isso é só para nós, brasileiros, que vivemos dia-e-noite sob uma saraivada de notícias sobre o tal “pulmão do mundo”?

O filme começa bem ao som daquela trilha ma-ra-vi-lho-sa de John Williams – a que já estávamos com saudades há 19 anos – e vai bem até a metade. É diversão garantida ao lado de um sacão de pipoca e um refri. Mas daí para frente o negócio começa a “degringolar” e mesmo desligando o cérebro a situação piora a cada nova cena. Basta dizer que o jovem Mutt (Shia LaBeouf) corta a selva pendurado em cipós juntos com os macacos, lembrando um Tarzan amazonense; os antagonistas enfrentam um exército de sinistras formigas comedoras; os heróis despencam de um tal rio (que só Deus sabe qual é naquela região) com quedas d´água típicas das Cataratas do Iguaçu e desembarcam numa cidade que é a cara de Macchu Picchu.

Cheio de efeitos especiais, o filme fez a cabeça da crítica que fica receosa de meter o pau na meca do cinema, mas decepciona quem esperava uma aventura do quilate de um daqueles três primeiros da série. Um Indy empoeirado, bom manejador de chicotes e cheio de lero-lero que chega a lembrar o Macgyver…

Estou certa que a tal caveira vai se levantar da tumba para processar Spielberg quando se tocar da barbeiragem que o diretor fez do seu filme. Também não dava para esperar muito do cara que fez “Guerra dos Mundos”. Enfim, fica para o próximo.

Cansadaaaaaaaaa …

… Hj o dia foi corrido. Sem tempo para ler e-mails, notícias… mal parei no computador. Às 9h30 já tava no Morro Dona Marta para a inauguração do Plano Inclinado com o governador. Ele atrasou, como sempre. Para quem não sabe, nosso governador parece uma noiva. Atrasa, sempre, pra lá de uma hora.

Pois bem, eu, que há pouco fiz uma matéria na comunidade, era conhecida. Dei beijo nos pobre tudo rs. Os outros repórteres ficaram espantados. Encontrei até o Cícero, garçom do Capela e que abriu o coração pra mim e pra Karla na última vez que fomos lá. Mas, ok, voltemos ao plano inclinado.

Claro que eu tinha que andar no elevador né. É quente, lento e dá medo. Ficava achando que iria levar um tiro a qq hora. Depois, na redação, estava crente que continuaria apurando minha matéria de domingo. Tolinha… fui pra coletiva com os procuradores que mandaram prender o Álvaro Lins e tome página pra escrever… cansei. To com tendinite só por causa desta matéria rs.

PS: Depois conto para os íntimos como foi um repórter chegou bruto em mim lá no alto da favela. Inacreditável rs.