Virei notícia…

… é estranho, mas hj li, pela primeira vez, sobre mim em outro blog. No Querido Leitor (link aí do lado), que tanto aprecio. Pois bem, Rosana Hermann, linkou minha matéria sobre a fraude do lata velha, publicada ontem no JB, e pediu para que seus leitores opinassem. É estranho né, mas a discussão que ela levanta vale a pena. Será que as pessoas querem mesmo saber a verdade ou apenas se divertir com a TV? Pelo que ela escreveu, Rosana joga no meu time, o da verdade. E vc?

Eis a matéria:

Fraude comprovada

Perícia constata que Globo entregou carro montado sobre outro chassi a participante de quadro
Renata Victal

Há pouco mais de um ano, João Marcelo Vieira acreditava que iria dar um up grade em sua vida. Ele se inscreveu no quadro Lata velha, no programa Caldeirão do Huck, da Rede Globo, com a esperança de ver seu Opala verde, ano 79, transformado. Em setembro, ele denunciou ao JB que o quadro era uma fraude. Seu Opala sumiu e o carro que entregaram para ele havia sido reconstruído em cima do chassi de uma Caravan 79. A matéria acabou causando transtornos na vida de João Marcelo, que foi alvo de críticas em sites de relacionamentos na internet. Muitos leitores o acusaram de querer se promover com o caso. Esta semana, no entanto, o laudo da da perícia solicitada pelo delegado Ronaldo Oliveira, titular da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA) comprovou o crime.

– O carro é todo adulterado. Não há nada ali que seja original do carro dele, nem o chassi – explicou o delegado.

O laudo agora segue para o delegado Walter Andrade Filho, da Corregedoria do Detran de Minas Gerais. O caso está sendo investigado em Belo Horizonte porque todos os crimes foram cometidos lá. A Caravan marrom, que serviu de base para a transformação, pertencia a Rubem de Souza e foi comprada por R$ 4.200 na cidade de Ribeirão das Neves. Nesta operação, outra irregularidade. O comprador falsificou a assinatura de João Marcelo. Mas, na data da compra, o veículo já estava em poder da Rede Globo. Até agora, o delegado mineiro já encontrou oito assinaturas falsificadas do carioca.

Busca por justiça

O complicado caso demorou para ser esclarecido, mas o inquérito em Minas Gerais está adiantado.

– Já vieram ao Rio tomar o meu depoimento e também já ouviram a versão contada pelo dono da Caravan – explica João Marcelo. – Aos poucos as coisas estão sendo esclarecidas e vou provar que não estava mentindo. Me acusaram de muitas coisas, viraram a cara para mim. Mas com o laudo da perícia não resta a menor dúvida de que o meu carro verdadeiro sumiu. Ninguém sabe onde está.

Além da perícia realizada pela DRFA, o advogado de João Marcelo contratou um perito particular, que também atestou a fraude.

– Temos dois laudos a nosso favor que comprovam que o carro entregue pelo programa não era o original – observa Mário Brito. – Acho que a Globo vai contestar os laudos, mas acredito na Justiça. Há ainda a falsificação das assinaturas de forma grosseira. Elas foram feitas em cima de uma colagem.

Sem a menor chance de ter seu carro de volta, João Marcelo espera agora uma retratação:
– Quero que eles digam na TV que me enganaram, que tudo foi uma fraude.

[ 29/06/2008 ] 02:01

Anúncios

Silêncio revelador…

…. já escrevi aqui que considero o silêncio revelador. Hj, Contardo Calligaris escreve o mesmo em sua coluna na Folha, com muito mais propriedade, claro. Pois bem, ele fala de amores silenciosos. Tb acho que nada substitui alguns momentos, nem mesmo o já banal ‘eu te amo’. Ficar abraçada ao ser amado, apenas ouvindo e sentindo sua respiração é impagável.

Eis um trecho de Calligaris hj: “Nunca sei se as declarações de amor são constatativas (“Digo que amo porque constato que amo”) ou performativas (“Acabo amando à força de dizer que amo”). E isso se aplica à maioria dos sentimentos…….. nossa verborragia amorosa atropela o outro. A complexidade de seus sentimentos se perde na simplificação dos nossos, e sua resposta (“Também te amo”), de repente, não vale mais nada (“Eu disse primeiro”). Por isso, no fundo, meu ideal de relação amorosa é silencioso, contido, pudico. “

A gente sabe que atingiu a total cumplicidade quando não precisa dizer nada, quando a presença silenciosa basta, se torna suficiente, alimenta a alma e nosso coração. Só quem já sentiu o que escrevo vai compreender de fato o significado da expressão sublime amor.

Algumas coisas não precisam ser ditas. Até porque, por força do hábito, se diz muita coisa da boca pra fora. Claro que ganhar flores no Dia dos Namorados é ótimo. Mas ganhar flores em outro dia qq é bem melhor, sem que tenha de haver um motivo no calendário, apenas pela vontade de expressar, mais do que verbalizar, o amor pelo ser amado.

Pra mim, os atos valem muito mais. Contam mais. Adoro ouvir palavras belas, mas, se quer me agradar, faça coisas bacanas. Me surpreenda.

PS: Dica gratuita hein, rs

Sobre a derrota do Flu…

…. nem preciso dizer que torci pra LDU e que fiquei satisfeita com a derrota do Flu. Mas o engraçado mesmo, o que fez o jogo valer a pena, pelo menos para mim, foi assistir o jogo ao lado da minha sobrinha.

Quem conhece, sabe que ela é uma figura. A menina vai fazer três anos, mas já é tricolor doente (culpa do pai). Ela estava de pijama de manga e calça compridas (por causa do frio), mas com a camisa do fluzão por cima.

Antes mesmo de o jogo começar, ela estava sentada no sofá, na parte de cima, encostada na parede, e gritando: “Nense. Nense”, mas de uma forma muiiiito fofa. Depois ela decidiu, sabe-se lá pq, a cantar “Aha Uhu, o bdfhsdf é noxo”. Entendeu? Ela queria dizer “Aha Uhu, o maraca é nosso”. Ela nem tem idéia do que seja o Maracanã, mas sabe que é bom cantar isso e estava toda fez entoando, a seu modo, claro, o versinho.

Aí, quando o jogo começou, ela passou a gritar: “Corre, corre”. E com pinta de mulher que não entende nada de futebol, comemorou o primeiro gol, da LDU. Tadinha, ela ainda não sabe que um time joga contra o outro. Aí, a tia explicou e vcs precisavam ter visto a carinha de decepção dela. Foi divertido. Qdo o time tricolor fez um gol, eu tive de dizer: “Agora vc pode comemorar, foi gol do seu time”. E ela saiu pulando pela sala. Uma fofaaaaaaaaaaaaaaa ! Nada substitui este momento. Muito bacana mesmo.

Depois, claro, no segundo tempo, ela já não ligava mais para o jogo e passou a brincar sabe de que? De jornalista. Isso mesmo. A menina fica me imitando. Pegou uma escova e começou a entrevistar todo mundo. Ela não fazia pergunta alguma, mas queria que a gente falasse algo sobre o jogo. Demais.

Agora, ela deu pra brincar assim. Minha irmã contou que esta semana pegou ela ‘falando’ ao celular e ‘escrevendo’ em sua mesinha. Ela dizia “É pra uma reportagem”. Minha irmã perguntou: “Giovanna, o que vc está fazendo?”. E ela disse “Uma matéria, eu sou repórti”. Que orgulho da titia !!!!!!!!!!!!!! So proud !!!!!!!!!!!! Amei. Ela diz que vai ser repórti quando crescer. Adorei.

Perturbação !!!!!!!

Uma amiga perturbada me passou um mail divertido. Decidi postar para todos meus leitores doidinhos. Amei.

“HOJE É O DIA INTERNACIONAL DOS PERTURBADOS
Por favor mande uma mensagem de encorajamento p / um amigo perturbado… assim como eu fiz. Eu não me importo se você lamber janelas, jogar pedra em avião, ou quiser bater prego com a testa, mas lembre-se, todos os sessenta segundos que você gasta irritado, perturbado ou louco é um minuto de felicidade que nunca mais vai voltar!!!

A mensagem de hoje é: A vida é curta, quebre as regras, perdoe rapidamente, beije demoradamente, ame verdadeiramente, ria incontrolavelmente, e nunca deixe de sorrir, por mais estranho que seja o motivo. A vida não pode ser a festa que esperávamos, mas enquanto estamos aqui, deveríamos dançar.

Encaminhe a todos os amigos perturbados que você tem, eles vão gostar de ser lembrados…”

Mais frio…

Voltando a escrever sobre o frio. É impressionante como o carioca é um ser descolado do inverno. A temperatura na cidade caiu bastante e todos tiraram seus casacos dos armários. Nas ruas, é notório ver as pessoas bem arrumadinhas e tal. No entanto, parece que junto com o frio veio uma burrice coletiva.

Não concorda? Então entra em qq agência bancária hj? Em restaurantes? Todo mundo desligou o ar condicionado e isso justamente no período em que as pessoas estão mais agasalhadas. Quando deixamos de ser índios, somos obrigados a fazer sauna em tudo que é canto. Vou começar a andar com uma quantidade pequena de eucalipto rs. Foda !

Vidro no café

Encontraram vidro moído no café do secretário de segurança aqui no Rio. Sei lá, não acho que seja um caso isolado. Se for pesquisar nos supermercados, aposto que vão encontrar outras coisas moídas nos pacotes de café. PS: Sorte a minha que odeio café !

Para bom entendedor….

… há umas duas semanas a lâmpada do meu quarto queimou. Comprei outra. Mas como trocar? Não sabia como tirar aquele lustre (acredite, para uma mulher a troca de uma lâmpada de um apt com pé direito alto é um desafio), como abrir a cúpula?

Enfim, fiquei todo este tempo na escuridão, mas, hoje, quando eu chegar em casa do plantão no jornal, tcharan… terei luz. A troca da lâmpada foi realizada nesta manhã. Obrigada, mais uma vez ! rs

Tá aí. Conforme o prometido. O indiano Apu Nahasapeemapetilon, que aparece em praticamente 90% dos desenhos Os Simpsons e o tal professor da King´s College London, Pervez Ghauri, que conheci no samba. Eles não são parecidos? rs

No samba…..

…. acontece de um tudo. Sexta e sábado foram dedicados ao ritmo. Depois de sacar que 50% dos homens que foram ao show do Paulinho da Viola não assistiram ao show, apenas paqueraram, percebi que sou uma pessoa fácil. Calma ! Não se precipite ! Estou falando da minha habilidade em fazer amizade com desconhecidos.

Ontem, no Trapiche, minhas amigas estavam rindo de três mulheres que estavam na mesa ao lado da nossa. O motivo: uma delas levou uma toalhinha pra ficar enxugando o suor. Isso é muito coisa de quadra de escola de samba, de pé morro mesmo. Enfim, ali, decidi que faria amizade com elas pq achei muito original. Elas eram coroas e não estavam nem aí pro que pensavam delas, queriam mesmo se divertir.

Como quem não quer nada, levantei e fui sambar. Aos poucos já tava na rodinha delas. Papo vai, papo vem. Pronto. Primeiro grupo de amigos. Mas não parou por aí…

… depois, um grupo de gringos se aproximou. Ótema oportunidade pra tirar o inglês do armário. Papo vai, papo vem, descobri que a macharada era composta dos mais cabeçudos caras de marketing do mundo que vieram participar de um congresso. Um espanhol fazia questão de ressaltar que fulano, que eu entendi que se chamava Pearl, mas que se chamava Pervez (nem preciso dizer que passei a noite chamando ele por outro nome rs) era o mais foda em Mkt do mundo, com zilhões de livros e blá, blá, blá,… papo chato.. saí pela esquerda e me aproximei dos meninos do Galocantô.

Pronto. Ali, fiz amizade com dois casais que estavam sentados em uma mesa próxima. Desta vez confesso que o encontro foi motivado pq alguém soltou um mega peido. Sério, a pessoa tava podre por dentro, e acabei me aproximando da mesa pra fugir do fedor.

Mas a noite não acabou ali. Quando menos esperava, Calça de Palhaço me tirou pra dançar. Quem é Calça de Palhaço? Um cara que tá lá toda semana, sempre com uma calça mais bizarra que a outra. Na boa, o cara não tem um jeans normal. Na primeira vez que eu e minhas amigas o vimos ele parecia ser o Banana de Pijamas, lembra disso? Usava uma calça de tecido listrada.

Voltemos à dança. Claro que aceitei o convite pra bailar pq já tinha observado que ele dança superrrrrrrrr bem. O cara manda muito. O problema é que ele me rodava demais, eram rodopios e rodopios pela pista. E eu, com minhas duas caipirinhas na cabeça, não aguentei. Disse: “Vc precisa parar de me rodar pq vou dirigindo pra casa e to ficando tonta”. Foi a deixa pro maluco disparar: “Vc não precisa dirigir, dorme lá em casa”. Ousado não? Claro que não fui !!!!!!!!!!! Tb deixo claro pra uma amiga (que sei que, no fundo, bem no fundo, quer ficar com ele) que não rolou NENHUM beijo pq não sou fura olho. Não fico com ex-caras, atuais, nem futuros casos de amigas. ahahahaha PRIVATE JOKE

PS: O tal fodão em MKT é a cara daquele indiano que aparece nos Simpsons. Acredite, não é exagero. Vou procurar a foto dele na internet e postar depois.

Relação de bolso

Lendo Bauman hoje pela manhã descobri que tenho uma relação de bolso. O que é isso? Segundo ele é uma relação doce e de curta duração. É a encarnação da instataneidade e da disponibilidade.

Uma relação onde quanto menor for a hipoteca, menos inseguro a gente se sente. Quanto menos se investe no relacionamento, menos inseguro a gente vai se sentir quando for exposto às flutuações de emoções futuras.

Queria só deixar bem claro que, de certa forma, tenho um amor de bolso não por escolha própria. Simplesmente me deixo levar. O fato é que no amor de bolso, quando acontece alguma coisa não prevista é a hora de seguir em frente.

Tá lá no livro….

…. tb que Marquard falou do parentesco etimológico entre zwei e zweifel (dois e dúvida) e insinuou que o elo entre estas palavras vai além da aliteração. Onde há dois não há certeza. E quando o outro é reconhecido como um segundo plenamente independente, soberano _ e não uma simples extensão, um eco, ferramenta ou empregado trabalhando para mim – o primeiro _ a incerteza é reconhecida e aceita. Ser duplo significa consentir em indeterminar o futuro.

Eis….

… um trecho do livro “Amor Líquido”, de Bauman:

“Quando se sentem inseguros, os amantes tendem a se portar de modo não-construtivo, seja tentando agradar ou controlar, talvez até agredindo fisicamente – o que provavelmente afastará o outro ainda mais.

Quando a insegurança sobe a bordo, perde-se a confiança, a ponderação e a estabilidade da navegação. À deriva, a frágil balsa do relacionamento oscila entre duas rochas nas quais muitas parcerias esbarram: submissão e o poder absolutos, a aceitação humilde e a conquista arrogante, destruindo a própria autonomia e sufocando o parceiro. Chocar-se contra uma destas rochas afundaria até mesmo uma boa embarcação com tripulação qualificada – o que dizer de uma balsa com um marinheiro inexperiente que, criado na era dos acessórios, nunca teve a oportunidade de aprender a arte dos reparos?

Nenhum marinheiro atualizado perderia tempo consertando uma peça sem condições para navegação, preferindo trocá-la por outra sobressalente. Mas na balsa do relacionamento não há peças sobressalentes. O fracasso no relacionamento é muito frequentemente um fracasso na comunicação.”

Espero que este trecho ajude uma amiga a refletir seus últimos atos…

Eu sei…

… que exigir bom senso dos outros é tarefa pra lá de impossível. Eu já desisti, joguei a toalha. Cansei de blá,blá,blá. Agora, quando percebo que a pessoa é tapada, burra pra caralho, e quer mesmo se enforcar, dou a corda.

Mas, algumas boas almas insitem em mudar o mundo. Um caso banal, mas de persistência, acontece aqui no trabalho. Há no jornal alguém com uma campanha ferrenha pra manter os banheiros limpos.

Na boa, a pessoa acha mesmo que colando cartazes pedindo para não sujarem a tábua da privada vai adiantar alguma coisa. Gente sem noção não muda!!! A tal mijona sem educação vai continuar emporcalhando o banheiro. Aliás, banheiro público sempre é sofrível. Uma pena.

Parabéns !!!!!!!!!!!!

Hoje é aniversário de duas pessoas queridas. Dia de bolo!!! Minha irmã mais velha, que foi minha parceira em muitas armações durante minha infância e que me deu uma sobrinha linda, inteligente e sagaz como afilhada, e do meu amigo Douglas, parceiro de faculdade e que hoje dá expediente como Surfista Platinado (o link do blog dele tá aí do lado). Deixo aqui, de forma pública, minhas felicitações de saúde, paz, amor e felicidade.

Que vcs dois possam curtir os bons momentos da vida como o cheio da terra molhada, luares brilhantes, abraços apertados, encontros com amigos, banhos de mar, caminhadas ao ar livre, shows, festas, muitas festas e alguns amores !!!

Esclerose…

…. é foda, mas a idade pesa. To ficando com pouco espaço no meu HD. Tenho esquecido tudo. Tb né, qta inutilidade: milhões de senhas, e-mails, notícias…. caraío, tá foda viver neste mundo digital-integral…. e o estresse? Sempre tenho a impressão que estou por fora. Não adianta, por mais informada, por mais antenada, a impressão que fica é que to ficando pra trás… uma pena !

E o que dizer…

…. sobre os militares do Exército que entregaram os jovens na Mineira? Dizer que estamos perdidos? Qual seria a novidade? Não temos a quem recorrer há muito e não falo só de nós, cariocas, mas de nós, brasileiros.

A cada dia vemos os impostos aumentarem, nossos salários diminuírem e os problemas triplicarem. A saída seria outro país? Sei lá. Para mim esta, ainda, não parece ser uma opção a ser levada em consideração. Ainda.

Foi lá?

… não sei quanto a vcs, mas eu respondo a esta pergunta “Foi lá?” todo santo dia. Quem pergunta? O lendário fotógrafo Evandro Texeira. Não tem um dia em que ele não venha na minha mesa, agarre minha cabeça, me dê um beijo na testa e pergunte: “Foi lá?”

No começo eu não falava nada. Mas entrei na brincadeira e sempre digo que sim. Outro dia o surpreendi. Ele passava pela redação e eu grite: “Evandro, foi lá?” Todos riam, claro.

Mais um…

….. e-mail da série que chega por engano na minha caixa de correio. Dá uma lida neste:

“Shalom meus amados alunos, Gostaria de avisar que sábado, dia 21/06 e domingo 22/06, haverá aula NORMAL na Escola de Líderes, por favor não faltem e lembrem-se do período devocional que começa às 14:45hs.
No amor d’Aquele que nos amou primeiro, Cris”

Então tá né. Sábado estarei lá, sabe-se lá onde ahahaha

Bafão

Tá lá na Mônica Bergamo:

“LEILÃO
Um paparazzo procurou ontem a imprensa de celebridades tentando vender uma foto que seria de Ronaldo e de uma morena com quem o craque teria passado a noite de terça no hotel Fasano. Na foto, ele aparece dormindo, e ela de roupa, tirando a foto com um celular. O fotógrafo, que diz negociar pela moça, pede R$ 10 mil pelo direito de publicação. A assessoria de Ronaldo afirma desconhecer a imagem.”

Na boa, Nazário não aprende. PQP! Vai ser burro assim na casa do ca…… o

Mundo bizarro..

… como se vê, tudo hoje é muito bizarro. Saca só, esta leitoa tem medo da lama, não gosta de se chafurdar no chiqueiro e, por isso, usa botas.

Ela mora em uma fazenda em North Yorkshire, no Reino Unido. A notícia tá na Folha on line. Acredita-se que a porquinha Cinders, de seis semanas, sofra de misofobia, um medo excessivo de sujeira.
Ó meu Deus, o mundo está perdido. Até os porcos temem a lama !!!!!!!!!!!!