Hj é dia…

…. de cuidar da sobrinha e paparicá-la muito. Vou deseducar total !

Anúncios

Entendo…

…. que o tamanho da curiosidade de algumas pessoas deve ser grande. Alguns estão de fato preocupados, mas o que aconteceu e meu deixou pra baixo não virá para o blog. Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, aqui há muito de mim, mas não tudo. Aliás, está longe de ter tudo sobre mim, minha vida ou mesmo sobre as coisas que acontecem. Há muita superficialidade por aqui. a vida é bem mais densa.

Sumida A.

Estou sumida sim. Lamento aos que vieram aqui atrás de novidades nos últimos dias. Problemas familiares me deixaram sem vontade. Desculpe-me, mas a vida é assim mesmo. Volta e meia acontece alguma coisa que nos tira o fôlego, que nos dá uma porrada, nos pega com as calças arriadas. É sempre assim e, infelizmente, não há rede de segurança.

Sei que a escrita é minha válvula de escape, logo vcs podem imaginar que a porrada foi gde o suficiente para me calar. Pretendo movimentar o blog até pq acredito na cura pela fala/escrita e sei que preciso colocar coisas pra fora, qualquer coisa.  Então vamos lá.

Começo pela experiência de ter entrevistado Fernanda Montenegro na quinta-feira da semana passada. Isso mesmo, você não leu errado. Estava eu, no trabalho, à tarde, como qualquer outro dia, quando toca o celular. É uma amiga me oferecendo este frila. Alowwww, faria de graça. Pagando então…

Pois bem, Kadu me acompanhou, claro, e saímos do teatro apaixonados por ela. Além de ter nos recebido em seu camarim, ter sido sido simpática e compartilhado conosco momentos íntimos como a maquiagem e o cabelo (que ela mesmo faz), ainda nos ofereceu um docinho na saída e pediu mil desculpas por ter ficado presa no trânsito na volta da festa de 10 anos do neto. Aloowww Fernandona, você não precisa pedir desculpas, pelo menos não a mim. Mas ela pediu.

Depois assistimos à peça e PUTAQUEOPARIIIIUUUUUUUUUUUU ela é  MUITO FODA. Simone de Beauvoir mais ainda. Então dá pra imaginar o estrago que é as duas musas no palco. Não há cenário, ou melhor, há uma cadeira e um foco de luz. Os gestos são contidos e, mesmo assim, é possível visualizar as cenas descritas por Fernanda. O texto é esplendoroso. Ta aí, esta é uma peça que  ninguém pode perder. Muito foda Fernandona ter começado a temporada a preços populares na Baixada. TODOS precisam assistir.

Sério….

…. tá virando palhaçada. Recebi o 4º email sobre a eleição de farmacêuticos. Acho que vou começar a zoar a porra toda, dizer que acredito no candidato tal pq ele é melhor e o outro é corrupto. Vai ser divertido, né. Depois conto aqui o que rolou …

E outro…

… Oh my God!

NOTA DE ESCLARECIMENTO À CLASSE FARMACÊUTICA

Prezados (as) colegas farmacêuticos (as):

Em respeito à classe farmacêutica e no intuito de ratificar a honestidade de propósitos, de todos que compõem o grupo UNIÃO FARMACÊUTICA, e, tendo em vista a maneira torpe, grosseira e sobre tudo antiética, com que o Sr. Michael dos Santos e outros candidatos rotulados de oposicionistas ao grupo atual que está no conselho, que não têm quaisquer trabalhos realizados pela profissão farmacêutica, retransmitem mensagens, para sua lista de emails, no desespero eleitoral ocasionado pelo erro crasso cometido pelo opositor que não soube nem se inscrever para concorrer ao pleito eleitoral de 2009, tendo como objetivo atingir membros do nosso grupo, temos a esclarecer:

  1. Se há lado sujo na política farmacêutica, certamente não se inserem aí, os nossos colegas da Chapa 01 – União Farmacêutica, grupo formado por homens e mulheres dignas, de incontestável vida pública e vida universitária exemplar, porém sem a pretensão de serem ídolos ou heróis, mas úteis à sociedade em que vivem, tanto na formação acadêmica quanto no nobre exercício da profissão farmacêutica;
  2. Com linguajar vil e rasteiro, muito próprio dos incompetentes, que sempre pretendem liderar, mas que na realidade são inábeis, que nem sequer sabem efetivar suas inscrições à candidatos à Diretoria do CRF, o mencionado senhor e outros, criticam os atuais candidatos da Chapa 01, afirmando que “ambos” (Ronaldo Pereira – 9 anos no CFF e Mary Jane – 6 anos no CRF) já estão há 10 anos na política farmacêutica, o que é improcedente, uma vez que, o ato da reeleição é plenamente democrático, tanto na área profissional como na área político – partidária; sendo todos os membros da Diretoria e Conselheiros Regionais e Federal dos CRFs eleitos pelo voto direto, no processo  de livre escolha, mas que não renunciam aos seus cargos, como o desprezível candidato em tela fez, quando era vice-presidente do SINFARMA;
  3. O falacioso colocou no indigitado e-mail, que recorreu à Justiça, mas ainda não obteve resposta ou decisão, o que aí sim, constitui-se vil manobra para ludibriar a classe farmacêutica, considerando que a justiça decretou sua inabilidade ao se inscrever intempestivamentenegando por duas vezesem duas varas da Justiça Federal, sua pretensão em suspender as eleições do CRF-MA, que estão asseguradas através do Poder Judiciário, a sua realização no próximo dia 13.11.2009, na sede do CRF-MA. Como sua característica principal é mentir para a classe farmacêutica,principalmente para os recém-formados, talvez exatamente, por serem iniciantes e não conhecerem ainda muito bem a história real do CRF-MA e dos membros que compõem o grupo União Farmacêutica, todos com no mínimo 23 anos de pleno exercício profissional, sem que nenhum de nós tenha deixado de exercer o nobre ofício da profissão farmacêutica, para tirar as poucas vagas dos técnicos de laboratório nos concursos públicos do nosso Estado e em especial do município de São Luís, como fez, recentemente, este protagonista de mentiras farmacêuticas;
  4. O inconseqüente questiona no confuso e-mail que enviou para alguns colegas, se os mesmos têm retorno da anuidade que pagam. Mais uma vez o mesmo demonstra sua desinformação ou má intenção, visando confundir os farmacêuticos, pois nos dois últimos anos, foram alcançados os maiores índices de inspeções de toda a história do CRF-MA, para ser mais claro o CRF-MA, em 2009, já alcança cerca de 6.000 inspeções em estabelecimentos farmacêuticos – a maior fiscalização de toda a história do conselho, proporcionando assim significante abertura e manutenção do mercado de trabalho aos farmacêuticos, dentre outras tantas realizações. Aí está, colega farmacêutico, uma das formas, do retorno da sua anuidade, aplicada como nunca foi, em fiscalização do exercício profissional. No mesmo texto, condena os convênios que a atual gestão do CRF-MA fez com as universidades públicas e privadas, o que proporcionou cursos de especialização e atualização em várias áreas a diversos colegas de todo o Estado, fato inédito na trajetória do conselho. Condena ainda, a realização do Conselho Itinerante, o que inovou o CRF, levando a descentralização das nossas ações aos colegas do Interior do Estado, suprindo uma lacuna que havia valorizando os colegas dos demais municípios do Estado, pela praticidade em atender às suas demandas;
  5. Por último, no famigerado e-mail, o sujeito recomenda aos farmacêuticos, “que não entreguem os envelopes abertos com seus votos, para pessoas ligadas ao grupo dominante” (citação feita no email dele, pois fomos legitimamente eleitos pela imensa maioria da classe para estar exercendo nossos cargos), subestimando, desta forma, a inteligência dos farmacêuticos, além de mais uma vez, comprovar total desconhecimento do Regulamento Eleitoral dos CRFs, que determina que os votos sejam encaminhados via correios. Nem mesmo, o mais desavisado dos analfabetos, manda cartas com envelopes abertos, pelos Correios. Desnecessária, inoportuna e inconsequente a denúncia desde desinformado conselheiro falacioso.

Como nossa intenção é elucidar aos colegas farmacêuticos os fatos sobre as eleições do CRF-MA, e, refutar, claramente, as acusações levianas do frustrado, alertando os farmacêuticos do Maranhão, para não se deixarem levar, pelas mentiras de quem só prega a desarmonia e que nos dois anos de mandato no CRF, ainda não disse ao que veio, sem ter feito uma proposta sequer no Plenário, limitando-se apenas a votar contra tudo e contra todos, chegando ao cúmulo de votar contra até o registro de novos colegas, no seu afã de se rotular oposicionista e ser contra todas as proposições da atual Diretoria do CRF-MA.

Nós que fazemos o grupo União Farmacêutica vamos continuar trabalhando pela classe farmacêutica. No dia 13 de novembro você votará em quem tem história, competência e trabalho ou prefere dar crédito a quem só prega a destruição, mentiras e demonstra total incompetência em sua postura de trabalho e como um mau representante de classe?

VOTE CONSCIENTE. VOTE NO GRUPO QUE FAZ. VOTE NOS CANDIDATOS A CONSELHEIROS REGIONAIS DO GRUPO UNIÃO FARMACÊUTICA, NA CHAPA 1 PARA O CRF E CHAPA 1 PARA O CFF.

VOTAR NULO OU EM BRANCO É COMPACTUAR COM QUEM NÃO TEVE COMPETÊNCIA NEM PARA FAZER SUA INSCRIÇÃO AO PLEITO. NÃO ABRA MÃO DO SEU DIREITO DE VOTAR NOS SEUS REPRESENTANTES NO CRF-MA.

GRUPO UNIÃO FARMACÊUTICA”

Outro…

…. mail errado. Gentem, SOU JORNALISTA, pq estou neste mailing de farmacêuticos?

“Estou enviando aos Colegas Farmacêuticos,
uma justificativa as agreções sofridas pelo Grupo União Farmacêutica,
vindas de um Conselheiro oposicionista.
Agradeço a atenção de todos e peço desculpas,
mas era necessária esclarecer a Classe Farmacêutica do Maranhão
sobre os tais fatos expostos.
Um grande abraço,
Wellington Santana da Silva (Candidato a Conselheiro Regional 2010-2013).”

Mais um mail….

…. que recebo por engano. Decidi publicar na íntegra. Quem sabe ele não me dá um trocado pela propaganda rs

“Prezados colegas,

Comemorando agora em 2009 vinte anos de profissão, estou, pela primeira vez, me candidatando a uma vaga como Conselheiro Regional de Farmácia para o quadriênio 2011-2014. Tenho procurado ao longo desse tempo exercer com zelo a profissão que escolhi, a que tanto amo, e é com pesar que tenho acompanhado a desarmonia na classe, que só serve para nos enfraquecer ainda mais. Coloco meu nome para apreciação dos colegas, pretendendo contribuir para a representatividade da classe farmacêutica, buscando a valorização profissional como ferramenta indispensável para o resgate da profissão junto à comunidade e às outras classes afins. Temos muito pelo que batalhar, mas que só poderemos realizar se todos nós estivermos unidos.

Saudação a todos!

Luiz Mário da Silva Silveira

CRF-MA 900”


Para pensar…

…. li este trecho no blog Para Francisco e concordo com cada palavra:

“Esse aprendizado foi o mais duro. Entender que, ao contrário do que sempre pensamos, é nos momentos felizes que sabemos quais são os nossos verdadeiros amigos: aqueles que, além de ajudar, se contentam ainda mais com a nossa felicidade e continuam perto de nós, independente do nosso estado de espírito”

Quadrinhos

Decidi responder a todos a dúvida da Bruna sobre o desenho em quadrinhos que fiz mais abaixo. Seguinte amiga, você precisa se cadastrar neste site http://pixton.com/br/ e depois criar o que quiser. Existem alguns modelos prontos, mas é possível customizar o seu próprio quadrinho. Tenho feito alguns só de brincadeira, pra aprender a usar mesmo. Achei a proposta muito bacana. Vá até lá e boa diversão !!!!

Dança e afins

Sexta-feira passada a programação foi apertada. Eu e Kadu fomos a dois aniversários. Uma maratona, praticamente, considerando o cansaço da semana de trabalho. Enfim, a primeira festa, da Gabriela, foi em um bar muito fofo em Botafogo. Já ouviram falar do Meza bar? Pois então, foi lá. O lugar é moderno, aconchegante e tem um clima ótimo. O Sex on the Beach é sensacional. Isso sem falar que é perto de casa né. Ou seja, TUDO DE BOM.

De lá seguimos pra ZN, mais precisamente para a Tijuca. Era niver da Simone, uma ex-peguete-comidinha do Kadu. Eu, como mulher moderna-desencanada-que-sou, fui sem qualquer problema. A festa foi em um baile de uma academia de dança. Isso mesmo, meu homi já fez aulas de dança, é um pé de valsa, e conhece todos no local. Até o segurança lembrava do nome dele.Pois bem, fomos direto para o salão e a aniversariante, claro, que não é boba nem nada e já provou do moço, deu aquele mega-super-hiper abraço no meu homi. Eu, claro, muito controlada, simpática e com um sorriso enorme no rosto, dei outro abraço nela. Mais comedido, óbeveo.

A casa estava cheia e, para minha surpresa, até eu conhecia uma pessoa ali. Mas fingi que não conheci, claro, pra pagar de misteriosa. A pessoa em questão tem um nome muito estranho, muito mesmo. Fernandinha e Claudinha vão se lembrar dele. (Meninas, lembram de quando fomos ao show da Teresa Cristina no Centro Cultural Carioca? Lembram de dois irmãos que dançavam muito e de um especificamente que nos rodava por todo o salão? Exatamente este, o de nome estranho e que trocou telefone comigo no fim da noite. Ele estava lá.) Não posso publicar o nome aqui, é tão diferente, mas tão diferente que só existe um da espécie no Orkut rs.

Mas voltando à festa. Em determinado momento, muito engraçado, Kadu foi dançar com as véia tudo conhecida dele. Eu, com os pés cansados, decidi sentar. Estava crente que ali permaneceria. Não ficaria dando ‘sopa’ de pé na pista. Aí, surgiu um malandro magrinho, baixo (da minha altura), branquelo, que veio todo educado e me tirou pra dançar.

Não fui criada pra dizer não pras pessoas e aceitei. Gzuis Maria do Céu… se arrependimento matasse. Explico: além de frequentar o lugar por mais de um ano, malandro não sabia dançar direito. Pior, ele fedia. Isso mesmo minha gente, e não era de suor proveniente das rodopiadas na pista, aquelas pizzas típicas que os homens ficam debaixo do suvaco. Era pior. Ele não lavava a orelha direito. Sabe quando dá aquela crosta? Sujeira mesmo. Aí já viu né: fedor na certa. E, por causa da altura dele, a orelha do malandro batia exatamente no meu nariz. Eu tentei sinalizar pro Kadu, mas nada. Ele rodava as véia tudo e ainda me olhava e sorria. Nossa, como aquela música demorou a passar. Mas enfim, tudo na vida passa e aquele momento tosco não durou mais que cinco minutos, prova total de que Deus existe rs.

Assim que escapei do fedorento, fui pro bar. Demos um tempo lá fora, mas voltamos. Chegou, afinal, o grande momento. Não sabia que existia isso, coisa mega cafona, mas enfim: a aniversariante fica no meio da roda e dança com todos os pés-de-valsa. Claro que Kadu, o safado que passou o pau na mulher no Carnaval, foi lá tirar mais uma casquinha. Eu, de longe, apenas observei. No salto, claro.  Depois do bolo, fomos embora. E, apesar de tudo, posso garantir que  noite foi divertida. Até topo ir no próximo baile.

MEGA DIVERTIDO

Graças ao Twitter de um amigo cheguei a este blog “Sinopse do Caralho“. E é do caralho mesmo, podem apostar. O blog conta a sinopse de filmes pornográficos, com muito bom humor, claro. Adorei e recomendo.

Saca que maravilha de post:

Sinopse: O maior garanhão do pornô nacional se despede das telinhas eróticas. Esta á última produção de Alexandre Frota e, por isso, não deixaria por menos, botou pra quebrar nas cenas que aqui constam, fincando sua marca de uma vez por todas.

– Po cara, ando meio em baixa aí na indústria, falaí o que eu posso fazer, bróder.
– Fala que vai parar de fazer filme pornô.
– Mas aí eu vou ter que parar mesmo?
– Não, não, é tipo simbólico. Pra dar uma assustada, tipo Jesus morrendo. Mas aí você volta depois, saca? Pode ser tipo “A ÚLTIMA FODA DE FROTA”
– Curti. Mas não vai pegar meio mal não? Tem que botar em letras bem grandes explicando que é a minha última foda só no pornô, cara…
– Vai ficar show de bola, a gente bota em letras assim meio de pichação, com uma cara bem jovem e moderna, vai ficar maneiro, confia.

Faz parte da natureza humana: que tá acabando todo mundo tá querendo. Funciona assim pra pintores, comida, filmes. Se é o ÚLTIMO, no sentido de que nunca mais vai acontecer de novo, você pára e pensa: “Ok, só por desencargo de consciência vou nesse show do Malandragem Carioca”. Já esse pensamento não se aplica tanto a pornôs e relacionados.

Exemplo recente, Viviane Araújo dizendo que era seu ÚLTIMO ensaio nua. Não cola porque voce sabe que não há muitos talentos ali. Ela vai fazer o que, se matricular numa faculdade de contabilidade de virar uma mulher como outra qualquer que nunca exibiu o esfíncter? Imagina se você, antigo garanhão que agora tem 50 anos nas costas e um pinto meio flácido, vê a Viviane Araújo sentada do seu lado fazendo umas contas, vai dizer que voce não ia pedir pra ela balançar o seu cheque? Eu pediria. Certos caminhos nao têm volta, e depois que você mostra sua polpa pra meio Brasil, NÃO DÁ pra pedir pra te tratarem igual tratam aquela moça que tá sentada ali há 14 anos e nunca mostrou um dedo acima do joelho. Malz aê, não dá. Sou muito a favor de reclamar os direitos, seja no parlamento ou no Procon, mas quando se tem argumentos. Depois que voce dá beijo grego pra todo mundo ver, qualquer argumento vai embora junto.

Aplicando a teoria à Frota: Ele pode virar instrutor de academia, segurança, qualquer coisa depois, afinal ele já teve outros empregos antes, como ator e marido-de-Claudia-Raia, então não seria problema. Mas a furada está do fato de que, tudo bem, é o último filme pornô do cara, mas você acha MESMO que ele tem algum truque na manga sensacional e inédito que ele guardou para o último filme? O quão diferente pode ser esse filme de qualquer outro que ele já tenha feito? Isso se aplica só para atores masculinos, devo ressaltar. As mulheres mudam mais, a bunda cresce, diminui, peito vai, vem, muda de penteado lá embaixo, aprende novos modos de dar aquela balançada. Pode ser interessante o ÚLTIMO filme pornô da Rita Cadillac, embora convenhamos primeiro deva ser bem melhor. Ou ela já começou velha? Na dúvida, vai de Sophie Dee. Não é por nada não, mas gostar demais de coroa chega a ser meio assustador caso você não seja um coroa também. Porque ninguém curte ficar pensando na mãe nessas horas mas você SABE o que tá rolando ali na seu subconsciente. Pense nisso na próxima vez que buscar por MILFs. Ou não.

É, melhor não.”

Cansástico…

… como é carinhosamente chamado, inclusive pelos funcionários da Vênus Platinada, o Cansástico está indo mal das pernas. Veja só, a coluna Ooops!, da Folha, publicou que, em dez anos, “Fantástico” perde 1 em cada 3 telespectadores. É verdade. A audiência mudou. Os gostos são outros e o Fantástico tenta, mas não consegue acompanhar a vontade popularesca da galera.

Neguinho quer ver sangue, pobreza e ações ‘generosas’ na telinha. Gente que doa casa, carro, que dá comida. É como se, vendo este tipo de programa, o público se sentisse aliviado. “Nãopreciso fazer nada contra a pobreza, afinal, fulano de tal faz x, y e z pelos outros”. Dá um alívio escroto. Ver a pobreza dos outros também é reconfortante. Como se a pobreza alheia valorizasse o pouco que temos, inclusive a saúde.Vai entender a cabeça alheia né.

Outra coisa que atrapalha o programa é aquela depressão pré-segunda-feira. A música do Cansástico já nos lembra que o domingo está acabando, que a segunda vem por aí, o chefe mala, o salário pequeno e as apurrinhações diárias. Os filmes que passam após o programa também não ajudam em nada. São todos muiiito violentos.

O que fazer? Bem, estão tentando a interatividade. Sei lá, ainda não encontraram a fórmula. Tá muito chato. Eu lá quero saber a opinião de zés ninguém sobre determinada reportagem. To me lixando pra isso. Eu e muita gente. Os quadros de auto-ajuda também são segmentados demais. A Liga das Mulheres, por exemplo, tinha tudo para ser melhor do que é. Um mini Saia Justa temático. Falta agilidade e vitalidade.

O peso da idade…

… Ontem me dei conta que os 7 anos que me separam do Kadu fazem alguma diferença. Pelo menos no quesito comercial. Lembram daquele das camisas USTOP, sucesso na década de 80, que tinha o bordão “Bonita camisa, Fernandinho”. Pois bem, o comercial que virou febre (olha que coisa mais antiga, escrever : febre rs) jogou na minha cara estes 7 anos de diferença.

Explico: Dei uma blusa para Kadu e ele fez muito sucesso com ela. Em todos os lugares por onde passamos, as pessoas elogiaram. Eis que deixei um recado no Facebook dele, justamente em uma foto onde ele aparece com a tal blusa. “Bonita camisa, Fernandinho”. E não é que ele achou que eu tinha trocado o nome dele. Alowwww, o cara nunca, NUNCA, viu esta propaganda. Incrível né. Eu usei muito este bordão quando era criança. Todos usavam. Me senti velha.

Para acrescentar peso em meus ombros, hoje recebo o mail de Bruna, que foi estagiária lá no JB. Ela contava uma notícia ótima, a de que vai ser repórter em outro jornal, e agradecia a mim. Até aí tudo bem, dei o cel do editor deste jornal pra ela, mas o motivo não era apenas este. Ela disse “e eu pude aprender mais do que em anos de faculdade” Ok OK, a tia Renata entendeu o recado rs. To véia!