Eu e a sociedade

As pessoas nao sabem viver em sociedade. Isso é um fato. Quer um exemplo? Simples. Tente morar em um prédio, qualquer prédio da cidade, até aqueles que têm apenas um apartamento por andar. Sempre vai ter um FDP que vai segurar o elevador justamente na hora que vc mais precisa. Experimenta chegar correndo, com a bexiga lotada, com o mijo já ali, na saidinha da uretra, e apertar o botão do elevador. Tiro e queda: algum FDP vai prender a porta. E vc? Vai fazer o que? vai ter que prender a bexiga. Por quanto tempo?

Aí vai depender da paciência de cada um… eu, por exemplo, não espero nem 10 segundos pra começar a socar a porta. Se não liberarem, aí vai no grito mesmo: “Ó o elevador aí ô”. Baixaria total, eu sei, mas não dá pra prender a bexiga por muito tempo. Não vou sofrer de cistite e ficar com a xereca ardendo pra mijar só pq um FDP não sabe viver em sociedade e cisma em prender a porra da porta do elevador.

Quer outro exemplo da falta de civilidade de moradores de apartamento? Experimenta fazer aquela compra de mês… aposto que quando vc for procurar o carrinho de supermercado do condomínio não vai encontrar. É batata. Tem gente que tem apego a carrinho de supermercado e deixa ali, no canto da cozinha, por uns 50 minutos. E não parar por ai nao. Tem também o pão duro que rouba o seu jornal, lê e depois devolve com as páginas amassadas. E vc sabe né, não tem mais a menor graça ler um jornal amassado. Jornal bom é aquele que tem as dobras certinhas, que tem os encartes com promoções mentirosas de grandes magazines. Esse tipo de coisa.

E os porteiros. Sério, deveria haver um curso superior para porteiro. É verdade. Eu, por exemplo, nunca morei em um prédio que tivesse um porteiro bacana, inteligente.  Para vcs terem uma ideia, teve um dos prédios que, contando por baixo, tinha uns 7 ou 8 porteiros. Eram dezenas de turnos e óbvio isso é sinônimo de merda. Eu acho que todos deveriam, por obrigação do ofício, saber de cor os nomes de todos os moradores, mas, claro, isso não acontecia. Conclusão: volta e meia aparecia uma carta que não era pra mim na minha caixa de correio. Mas PQP é só ler certinho o nome do morador e o número do apartamento. não deveria ter erro, mas, mesmo assim, eles conseguem errar. Isso sem falar nas cartas endereçadas ao morador anterior e que, mesmo assim, eram entregues a mim. Gente, qual a dificuldade em separar cartas corretamente? Bem, eu não entendo. Sou intolerante mesmo em relaçao a isso. Se esta é a única função de um cara, ele tem que saber fazer direito.

Alguns ficam o ano inteiro sem falar com vc, só te cumprimentam com a cabeça, mas no Natal… bem, no natal sao os primeiros a vir te comunicar que colocaram uma caixinha na portaria. E você que, que pretendia quitar as dívidas com o 13 salário, se vê coagido a colaborar. E tem que dar um valor que seja suficiente pra dar uma boa merreca pra todos os 7 ou 8 pq os desgramados anotam num caderninho o seu nome e o número do apartamento. Ou seja, toda a vizinhança vai saber se vc é ou não pão duro.

 Em prédio, volta e meia aparece um vizinho maconheiro inconveniente, um poodle com um latido estridente ou uma criança irritante que ou aperta todos os botoes do elevador ou sai tocando todas as campainhas do andar e desce de escadas. Um saco, enfim. Mas morar em casa nao é tão diferente. Vizinho mala vai ser mala em qualquer lugar. Voce tem um pouco mais de liberdade em casa, é verdade, mas, justamente por morar em casa o vizinho do lado acha que é o dono da rua e que pode dar festinhas semanais. Aí já viu né, aparece aquele egoísta, ruim de roda, que estaciona o carro onde? Na porta da sua garagem, claro, e óbvio, justamente no dia que vc tá super atrasado pra ir praquele baladinha com os amigos. O som também fica nas alturas, e a noite toda, porque o malandro acha que na casa dele, sem vizinho em cima ou embaixo, ele pode fazer o que quiser. Mas e os vizinhos dos lados? Eles não contam? Por acaso o som só se propaga na vertical?

 E no transito? Bem, é de conhecimento geral que é no trânsito que algumas pessoas descontam suas frustações sexuais. Sabe aquele cara que gasta mais no carro que na casa? Tem pau pequeno. Aí, claro, só tendo um porsche pra compensar né. E aquele outro que coloca o som nas alturas, que acha que carro é boate? To falando desses meRRRmo que acham que o resto da humanidade é surda. Qual o problema deles? Ego. E enorme. Se acham os DJs mais famosos do mundo e, na boa, todo mundo sabe que as músicas que tocam nestes carros específicos são um tanto quanto cafonas. Isso sem falar no tipo que coloca neon embaixo do carro. Pra que isso? Medo de apagão? Quer se certificar que seu carro é um foco de luz móvel e que isso garantirá luz na rua em caso de queda de energia? Na booooa. O pior é saber que isso é caro e que muita gente paga pelo serviço.

 Cafona também são aquelas buzinas engraçadinhas que geralmente instalam em Kombis. As que dizem “Mulher bonita não paga, mas também não entra” ou “Eeeeeiiiii sai da frente, mano”. O que estes motoristas pensam que são? Ary Toledo? Costinha? Gentem, bizarro né. Sem contar que é uma puta falta de civilidade. Outro dia vi uma senhora cair no chão depois de tomar um susto ao levar uma buzinada dessa no ouvido. Coitada.

 E velho dirigindo. Ok Ok, a população está envelhecendo e seria politicamente correto não falar mal de velhos. Mas no trânsito isso é impossível, vamos combinar. Ou saem por aí cortanto tudo e todos. Ou andam a 20 por hora achando que são os mais prudentes do universo. No Rio, onde as placas de sinalização ou são inexistente ou mal colocadas, velho no trânsito é ainda mais perigoso pq, quando eles percebem que devem entrar em alguma rua, simplesmente viram o volante. Seta? Pra que? Seta é acessório, meramente decorativo. Quanto as mulheres, por motivos óbvios, nao vou meter o pau. Por motivos óbvios mesmo: sou mulher e nao tenho pau.

Outra prova concreta da falta de civilidade é fila. Tem gente que não sabe esperar. E, tenho de admitir, as mulheres estão entre as piores neste quesito. Sempre tem uma ou outra, as barrigudinhas, claro, que tentam se passar por grávidas. Há ainda as que pegam filho emprestado com o vizinho pra passar na frente. Tem gente até que entra mancando. Mas isso não é o pior.

Chato mesmo é gente que resolve aproveitar a fila pra colocar a vida em dia pelo celular. Sério, em algumas ocasiões, já tive vontade de dar palpites na vida alheia. Tem também aquele mala que saca da pasta umas 500 e tantas contas da empresa e monopoliza o caixa por uns 40 minutos. E o que acha que é seu amigo de infância e fica puxando papo, contando que sua tia avó tá internada não sei onde e que tem certeza absoluta de o chefe tá comendo a secretária. Em supermercado tem também o mala que aparece com uma lata de leite e pede para passar na sua frente porque só vai pagar aquilo. Aloww tem caixa rápida pra que? não sei quanto a vocês, mas nunca deixo passarem na minha frente. Fila é fila. Tem que respeitar.

 Teatro ou cinema são locais mestres em receber gente mal educada. É gente que cisma em conversar baixinho com o parceiro do lado crente que ninguém está ouvindo. Ou que não desliga o celular e, pior, atende quando ligam se valendo da mesma lógica ilógica de que está falando baixo, sussurrando, e que nao está incomodando. É muita falta de educação.

Estou…

… explodindo de felicidade. Acabei de receber uma notícia familiar ótima, relacionada à saúde de uma pessoa queridíssima e super amada. Não consigo conter tamanha alegria!!!! Fé é tudo !!!

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito.” Clarice Lispector

E a semana…

… está agitada. Segunda fui ao João Caetano com a Claudinha assistir ao The Great Voices of Gospel. Simplesmente maravilhosos. Vozes estupendas. Artistas simpáticos e felizes por estarem no palco. Contagiaram o público.

Tudo bem que, toda hora, eu achava que a Whoopi Goldberg iria aparecer vestidade de freira, como no filme Mudança de Hábito, a qualquer momento. É uma parada realmente cinematográfica, pelo menos para nós, tupiniquins. Todos afinadíssimos. Chega a dar raiva por saber que eles não são devidamente reconhecidos e que gente como Rihanna e Madonna fatura horrores e suas vozes não são nem 10% semelhantes às das pessoas deste grupo.

Ao fim da apresentação o público já dançava de pé, se sacudia, fazia passinhos de um lado para o outro. E as senhorinhas? Nossa, que fofas. A maioria de cabelo bem branquinho. E o teatro estava bem cheio para uma segunda-feira. Muito bacana.

Ontem, fui à inauguração da nova sede do Bola Preta. O espaço é bem bacana e eu, kadu e Tania já tivemos algumas ideias de ocupação do espaço. Notícias em breve…

… Nem preciso dizer que perdi o show da Maria Rita né.. ela demorou tanto a chegar no Bola Preta que eu, Kadu, Tania e Jùnior fomos para o Boteco do Gomes. Fechamos o local. Fomos expulsos mesmo, mas foi ótimo. To amando a semana.

Hoje tem mais peça e, talvez, chope com o Chico. Que tudo. E amanhã: feriadão !!

Parar e respirar…

… é isso que as pessoas precisam: parar e respirar. parar e respirar…. Estou chocada com a quantidade de notícias de pais que esqueceram seus filhos em carros, que os tacaram pela janela. Gentem, como assim??? Vamos ter muita calma nesta hora ! Não dá para descontar o estresse diário com o chefe, ex-mulher, ex-marido, sogra e afins nas crianças. E por que esquecer os filhos? Pq mudou a rotina?? Sinal de estresse claro.

Tenho pena das crianças e dos pais. Imagino a culpa dessa mãe que esqueceu o filho no carro… ela vai carregar isso pelo resto de sua vida. Será que o pai vai perdoá-la? E a outra filha? E ainda enfrentará um doloroso processo penal. Uma lástima. Uma família destruída. Uma vida perdida.

E os casos de suicídio? Os da France Telecom chamaram atenção do mundo. E as pancadarias no futebol? Ontem foi Obina que acertou o Maurício. Semana passada uma louca americana foi afastada por agredir suas rivais em campo. E a mulher dava porrada mesmo.

É óbeveo que algo está 100%  fora de ordem, a sociedade está doente e precisa urgente de um CTI. O que podemos fazer para não entrar nesta onda? parar e respirar. Não há nada que seja mais importante que nossa vida e saúde física e mental. Hora de repensar nossos valores.