E se…

A gente não deve viver pensando no e se fosse assim ou assado, mas a gente pensa.  Agora, por exemplo, ouvindo a estagiária conversar com o pai no telefone, por instinto, pensei ‘E se meu pai fosse vivo, o que ele acharia da minha vida”. Certamente ficaria feliz, acredito, talvez reclamasse da falta de um neto, mas estaria orgulhoso. Pode ser que ele achasse tudo uma merda, bem diferente do que ele planejou. Não sei e nunca saberei e tenho de convive com esta dúvida. Aliás, com esta e com tantas outras. O fato é que não dá pra gente levar a vida no se. Portanto, bola pra frente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s