Mais uma do velho Joe…

Up Where We Belong

Who knows what tomorrow brings
In a world, few hearts survive
All I know is the way I feel
When it’s real, I keep it alive

The road is long, there are mountains in our way
But we climb a step every day

Love lift us up where we belong
where the eagles cry, on a mountain high
Love lift us up where we belong
Far from the world below, up where the clear wind blow

Some hang on to “used to be”
Live their lives, looking behind
All we have is here and now
All our life, out there to find

The road is long, there are mountains in our way
But we climb them a step every day

Love lift us up where we belong
where the eagles cry, on a mountain high
Love lift us up where we belong
Far from the world below, up where the clear winds blow

Time goes by,
No time to cry,
Life’s you and I
Alive today

Love lift us up where we belong
where the eagles cry, on a mountain high
Love lift us up where we belong
Far from the world below, up where the clear winds blow

Anúncios

Joe Cocker

You Are So Beautiful

You are so beautiful
To me
You are so beautiful
To me
Can’t you see?
You’re everything I’ve hoped for
You’re everything I need
You are so beautiful
To me
You are so beautiful
To me
You are so beautiful
To me
Can’t you see
You’re everything I’ve hoped for
You’re everything I need
You are so beautiful
To me

Nua

É verdade, me sinto nua, exposta, avaliada. Desconfortável? um pouco, talvez, mas também é muito excitante. Desvendar os outros e a mim mesma é tarefa que aprecio bastante. Medo? um pouco, talvez, mas quem não sente medo não vive e amo a vida que tenho.

Planos? Nenhum. Estou de braços abertos pronta para que o vento me leve pra um lugar qualquer, desde que seja um lugar qualquer bem aconchegante.

O que fazer? Alguns diriam que esperar é a melhor solução, mas não sou dessas. Esperar não é pra mim. Se quero algo, me empenho. Enigmática? Eu? Imagina. Este post tem destinatário certo. rs

Cagoooona

Quem me conhece da época da faculdade sabe que pessoas cagooonas sempre cruzaram o meu caminho. Pois bem, semana passada, em pleno Centro do Rio, por volta das 16h30, outra cagona cruzou minha vida.

Desta vez, eu só queria sacar dinheiro no banco. Estava leve, faceira, feliz e… de repente, não mais que de repente, me deparei com uma mulher por volta dos seus 48 anos, agachada no chão, encostada na parede da agência bancária, com calça arriada. Sim, ela estava cagando e presenciei este momento mágico. Que bonito, não?

Então, como pessoa preocupada, a tal senhora tinha em mão papel higiênico. Muito limpa, não?

Ok, podem dizer que os moradores de rua não têm local adequado pra fazer suas necessidades, mas ela podia, ao menos, buscar um local mais reservado. A rua era daquelas bem movimentadas, com grande fluxo de pessoas, incluindo crianças. Sei lá, não venham me dizer que ela não tinha nenhum bom senso pq o papel higiênico estava a postos, logo, a mulher tem o mínimo do que deve fazer.

Espero, sinceramente, não cruzar novamente com tal cena pelas ruas da cidade maravilhosa.

Vcs não queriam que eu ilustrasse o post com um cagalhão, né? Fica a imagem da cidade que amo. Salvem o Rio de Janeiro

Programação da semana

Então, domingão acabando e começo a pensar: qual será minha programação da semana? Vcs sabem que não trabalho com longos prazos, mas programar a semana tá tranquilo. Então vamos lá:

Segunda: buscar a sobrinha pra dormir na minha casa

Terça: encontrar minha amiga Dani que está gravisíssima

Quarta: encontrar minha amiga Tania

Quinta: em aberto

Sexta: Samba Luzia

Sábado: em aberto

*programação 100% sujeita a alteração !!!

Que amor de amizade

Tem umas pessoas que entram em nossas vidas por caminhos estranhos e que deliciosamente ficam. A Tania Athayde é uma delas. Não fosse o trabalho como jornalista e uma noite num bar na Lapa, jamais conheceria a Tania, um amor de pessoa, amiga, profissional. Pois bem, apesar de não encontrá-la sempre, estamos sempre em contato via Facebook e foi lá, neste espaço virtual, que ela acabou de dizer que me ama pelo conjunto da obra. Achei fofo, sincero e registro aqui que a recíproca é verdadeira. Também amo a Tania pelo conjunto da obra. LINDA!!!!

Aos bons observadores

Os bons observadores devem ter percebido que mudei a imagem do cabeçalho do blog. Versallhes coberta por neve deu lugar ao show de luzes e globos espelhados. Por que da mudança? Simples. A vida é uma festa, amo festas e acho que o blog deveria espelhar melhor este astral. Lembrem sempre: por pior que possa estar sua vida, sempre é possível dar a volta por cima, o mundo é maravilhoso e cheio de possibilidades/oportunidades. Não desista !!!

Faustão

Gentem, sério, fico chocada com o Domingão do Faustão, não só por ele, claro, mas pelo todo. Sabe como é, tem aquelas mulheres que sonham em ser bailarinas do Faustão e acham o máximo exibir o corpo e o sorriso falso como se isso fosse tudo na vida.

Tem também a galera que curte aparecer na primeira fila da plateia e mobiliza a família inteira pra ficar na frente da TV curtindo seu momento global. E as vídeocassetadas … bem, o que dizer sobre imagens da década de 90, desbotadas pelo tempo, tremidas e que, na maioria das vezes, revela pessoas caindo e se machucando?

Bem, pode ser sinal de velhice da minha parte, mas não dá mais pra assistir ao Faustão. O cara parou no tempo. Pior que ele só o Raul Gil, mas vou me poupar de comentar.

Bom fim de domingo a todos. Isso se o Cansástico deixar, claro.

Feriadão

O feriadão está acabando, mas não estou triste, juro. Há tanto tempo que não sei o que é ficar em casa, de bobeira, com tempo de sobra pra fazer tudo ou fazer nada que, sinceramente, estou radiante.

Fiz de um tudo: fui à praia, à piscina, vi alguns filmes, brinquei com minha sobrinha, fui à Lapa, ao show do Nando Reis, ao niver da Natália na Casa da Matriz, à casa de uma amiga, comi muito chocolate … ufa.

A pergunta que fica é: falta muito para o próximo ?

Páscoa, mais uma

E chegou a Páscoa. Além de encher a raba de chocolate,me dei conta de que falta pouco mais de um mês para o meio do ano. Como assim??? Impressão minha ou o tempo deu uma acelerada? Sei lá, tudo muito corrido, muitas coisas acontecendo, que loucura.

Apesar da correria não tenho do que reclamar: tenho trabalhado muito e em algo que gosto e me remunera bem, tenho encontrado meus amigos, viajado, me divertido e aproveitado bons momentos ao lado das pessoas que amo: minha família. Se falta algo? Dizem que sempre falta algo em nossa vida, mas, sinceramente, não tenho sentido falta de nada. E isso é maravilhoso: tenho saúde e alegria, que mais posso querer?

Então, se vc, caro leitor, anda desanimado, cansado, cheio de problemas, reflita: sempre teremos problemas, sempre teremos coisas que nos chateiam, pessoas medíocres ao nosso redor, mas não podemos desanimar. Bola pra frente. Para animar quem tá pra baixo, deixo uma imagem minha de coelhinha. Boa Páscoa !!!!

Um finde em Curitiba

Um ser livre, leve e solto, como eu, pode se dar ao prazer de passar os dias de folga onde bem entender. Pois bem, decidi trocar umas milhas e passei dois dias em Curitiba. A escolha pelo local foi óbvia: era o fim de semana do Festival de Teatro.

Passagens em mãos, hotel reservado, lá fui eu, depois do trabalho, direto para o aeroporto. Apesar de cansativo, foi sensacional ter ido na sexta mesmo. Achei a cidade fofa, bem arrumada, com um clima ótimo. O hotel era bem localizado, limpo, lindo. Um luxo !

Sábado bem cedo comecei minha peregrinação de turista. Fiz boa parte do trajeto a pé, para comprar, claro, e depois embarquei naqueles ônibus de turismo mesmo. Foi a melhor coisa que fiz. Deu pra conhecer bem a cidade, parar em pontos importantes, como o Jardim Botânico (foto), o Museu do Niemeyer, e a Ópera de Arame. Almocei no Mercado Municipal, peguei uma chuva básica, fui ao shopping, cinema…. fiz de tudo um pouco.

O domingo também foi longo e produtivo. Conheci mais lugares e fiquei encantada. Quero retornar à Curitiba, sem dúvida.

Saudades !!!

Alá vc, caro leitor, olha quem apareceu?? Isso mesmo, euzinha. To sumida, muitas coisas aconteceram, umas boas outras péssimas, mas vamos levando.  Aliás, levando mesmo.  To com saudades deste blog, de contar algumas coisas, falar tudo sobre o nada. Nestes últimos meses minha máxima se tornou “é o que tem pra hj” e assim, considerando apenas as coisas que a vida me oferece em um único dia, vivo.

Isso tira um peso grande de uma série de coisas e me dá um certo conforto. Vivo menos estressada, ansiosa, com expectativas reduzidas. Não planejo nada ou quase nada e aproveito ao máximo as oportunidades.

Uns não concordam com esta forma de levar a vida. Outros me chamam de louca e blá,blá,blá…. mas é o que tem pra hoje. Quem quiser minha amizade verdadeira entenderá. Esta semana, por exemplo, fui convidada para fazer algumas coisas em maio. Como assim?? Falta tanto pra maio. No way.

Se serei assim pra sempre? Provavelmente não. Mas hoje, sem dúvida. Não quero amarras porque pretendo gozar de toda liberdade que a mim é oferecida e a que eu posso comprar também. Por isso, passei um dos últimos finais de semana em Curitiba, outro em SP. Qual será o próximo destino? Não sei. pouco importa. A vida me levará até lá.