Contagem regressiva

… faltam 10 dias para minhas férias e 22 dias para eu reencontrar meu gatinho…. que momento!! Sobe o som: É O AMORRRRR, QUE MEXE COM A MINHA CABEÇA E MEI DEIXA ASSIM!!!

Anúncios

Dica para mulherada solteira

Diz a Forbes: “Com a economia em forte expansão, o Brasil tem ganhado em média 19 milionários por dia desde 2007, segundo reportagem da “Forbes”.

De acordo com a revista, esse cenário deverá continuar se repetindo pelos próximos três anos.”

Mulherada, fica a dica… resta saber onde estão estes novos milionários. Ainda não conheci nenhum ahaha Agora, só sai com pé rapado quem quer ahahaha

Horror na França

Tá na Folha de SP: ”

Um menino francês de três anos morreu na cidade de Meaux, a pouco mais de 50 km de Paris, depois que seu pai o colocou dentro de uma máquina de lavar como castigo pelo mau comportamento da criança, de acordo com informações desta terça-feira do jornal espanhol “El Mundo”.

Christophe Champenois, pai da criança chamada Bastien, foi detido no domingo sob a acusação de homicídio. A mãe também foi levada pela polícia acusada de ser cúmplice da morte do garoto por não ter feito nada para impedir o crime.”

Onde esse mundo vai parar?? Que pais são estes??

 

ahahahah

Gentem, amo meus amigos. Se algumas trocas de emails pudessem ser publicadas… bem, só digo uma coisa, por conta destes emails devo voltar ao Facebook. Tudo para garantir uns bons momentos de risadas ahahaha

Um finde em Brasília

Aproveitei o fim de semana de bobeira para fazer algo que há muito queria: fui visitar meus tios e primo em Brasília. Estava chovendo, mas, mesmo assim, foi ótimo. Assim que cheguei, no começo da tarde de sábado, fomos a um restaurante muito bacana, onde come-se muito e come-se bem, chamado Galeteria e Pizzaria da Mamma. De lá, fomos para o Conjunto Nacional. Ajudei meu tio na compra de um celular novo e ainda ganhei uma capinha linda para meu Iphone: ele está vestido como se fosse uma fita cassete !!!

À noite, fui com meu primo, a namorada dele e minha tia para o Pontão, onde ficamos de papo e comemos à beira do lago.  Domingo, bem cedo, fui com minha tia na feirinha de artesanato da Torre de TV, programa básico para todo turista. Depois, já em casa, foi minha vez de baixar todos os apps para o cel do meu tio. ADORO fazer estas coisas.

Depois da janta, voltei pra casa. Rápido, eu sei, mas o melhor de tudo foi matar a saudade de pessoas queridas, maravilhosas e com uma energia ótima.  Que venham outras viagens !!!

 

Saudades

Hj acordei com muitas saudades do meu gatinho. Não sei se isso está relacionada à morte do meu amigo, deve estar né, a gente sempre fica com medo de perder quem ama. E não quero perder meu loirinho. Queria estar de férias para poder estar com ele. Falta pouco, eu sei, mas a ansiedade tá me consumindo….

PS: Falta um mês para o Natal e estarei com meu ❤ Que tudo !!

 

Eu sonho muito…

… sim, eu sonho muito. Mas não estou falando do sonho que a gente costuma ter qdo dorme, estou falando dos sonhos que tenho quando estou acordada. Vou loooonge, muito looonge. Se realizado tudo? Claro que não. Mas isso não faz a menor diferença. Gosto de sonhar, me emociono e tudo. Boba, eu sei, mas é o meu jeitinho ahahaha

É CARNAVAL … quase

Sim, daqui a pouco acaba o Natal na Leader Magazine e as fantasias baratas voltarão a ocupar todas as araras da ala infantil. Até lá, prosseguiremos com os múltiplos concurso de sambas e marchinhas. A boa notícia é que MINHA AMIGA KARLA RÚBIA é uma das 10 finalistas do concurso de marchinhas da Fundição Progresso. UM LUXO !

Arrasou, amiga. Pode contar comigo na torcida. Te dedico, amiga ahahaha

status de relacionamento

Volta e meia converso com amigas sobre a importância que damos aos rótulos. Já escrevi sobre o tema, inclusive. São importantes, eu sei e cobro alguns, não vou negar, mas não são tudo. Aliás, estão longe disso. Prefiro ter uma relação de verdade, com amor, cumplicidade, parceria, amizade… que um rótulo.

Hoje, mais uma vez, refleti sobre o tema e por duas situações diferentes. Explico: 1) soube, no enterro do meu amigo Antonio, que ele casou, já no hospital, com a Lu, aquela que na prática já era sua esposa, sua companheira. Casou com a mulher que ficou ao seu lado nos momentos mais difíceis de sua vida. Atitude bacana, linda, repleta de amor. Fiquei feliz quando soube. Por ele. Por ela. Sem dúvida um ato de pura felicidade, mas que já poderia ter acontecido. Não precisava ter sido no leito de um hospital. Fato. Não cabe a ninguém julgar o porque disso ou daquilo agora. Estou apenas relatando um ocorrido.

2) Outro caso me chegou por email. O namorado de uma amiga postou no perfil do Facebook dela a seguinte mensagem:

“Fico pensando que poderia haver no Facebook o status: Em um relacionamento FELIZ.
Isso descreveria que vc se encontra numa situação onde há vontade ao invés de obrigação. Onde há carinho, admiração, cuidado.
Enfim, todas essas coisas que nos dão liberdade, mas fazem a gente ficar e querer mais, muito mais, por se sentir feliz.” 

É isso!! Ele está em um relacionamento feliz e não no tal relacionamento sério, que o  site oferece como opção. E é esta felicidade que importa. Estão juntos por vontade, por amor, por querer. Estão livres e dessa forma conseguem usufruir do amor de uma forma bela. Achei lindo.

Eu também estou em um RELACIONAMENTO FELIZ !! Se quero casar? Claro! Sempre! mas, hoje, sinceramente, não faria aquela tal festa que um dia comecei a pagar. Talvez faça um encontro mais íntimo, como o do Antonio e da Lu (tirando a parte do hospital, claro). Acho que prefiro uma reunião para poucos, mas fiéis e amados amigos e parentes.

Perdas… mais uma

Ontem à noite perdi mais um amigo. O terceiro só este ano. Não aguento mais ver gente nova, amiga e querida partir. Antonio, parceiro de faculdade e de algumas viagens, vai deixar muitas saudades. Impossível  esquecer as boas risadas que ele me proporcionou, impossível até mesmo esquecer aquela linguiça que ele vomitou INTEIRA, isso mesmo, INTEIRA no chão da sala onde uma galera iria dormir durante uma viagem para Maricá.

Antonio era desses, como diria minha amiga Ingrid. Ele se jogava na vida, era leal aos amigos, aos parceiros, ótimo profissional. Tudo o que falar sobre Tonhão será pouco. Que você descanse em paz, amigo. Aliás, te plagiando, Antonio, não posso deixar de citar uma das frases que vc falava com a boca cheia de vontade: “Que momento!”

Para apaziguar mais esta perda, nem mesmo um curativo gigante no peito daria jeito.

Música do Dia

Paciência
Lenine

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não para…
Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara…
Enquanto todo mundo
Espera a cura do mal
E a loucura finge
Que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência…
O mundo vai girando
Cada vez mais veloz
A gente espera do mundo
E o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência…
Será que é tempo
Que lhe falta para perceber?
Será que temos esse tempo
Para perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara…
Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para
A vida não para não…
Será que é tempo
Que lhe falta para perceber?
Será que temos esse tempo
Para perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara…
Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para
A vida não para…
A vida não para…

Preocupada

Hoje cedo meu gatinho mandou mensagem. Ele estava assustado pq tinha acabado de dar com a cara na parede de casa. Rasgou parte da testa, sangrou muito. Fiquei aflita, claro. Queria muito estar lá para cuidar dele. Espero que fique tudo bem. Ficará !

Interessante: resiliência

O jornal Valor publicou hoje interessante matéria sobre resiliência. Vale a leitura:

Resiliência pode ser medida e treinada

Por Rafael Sigollo | De São Paulo

O Século XXI mal começou e já foi marcado por grandes crises econômicas, catástrofes naturais, transformações políticas, mudanças sociais e reestruturações no mercado de trabalho. A competência mais importante para os tempos modernos, portanto, é a resiliência. A boa notícia é que é possível aprender e desenvolver essa característica. Essa é a opinião de Paulo Yazigi Sabbag, professor da Fundação Getulio Vargas – Eaesp e idealizador da primeira escala nacional para avaliar o nível de resiliência de profissionais, a ERS (Escala de Resiliência Sabbag).

O termo é oriundo da engenharia e serve para descrever a capacidade e o tempo que um material leva para se recompor – como uma mola, que se deforma ao sofrer pressão e retorna à posição anterior quando essa força cessa. Posteriormente, a psicologia se apropriou desse conceito para descrever a habilidade de um indivíduo de se recuperar de traumas, perdas e adversidades.

Hoje, o tema tem destaque entre especialistas em recursos humanos. “As empresas buscam profissionais capazes de se adaptar a diferentes cenários, de responder rapidamente e de suportar a pressão”, afirma. De acordo com um estudo realizado pelo professor com alunos graduados no curso a distância de administração da FGV, 16% dos profissionais apresentaram resiliência baixa, 40% alta e 44% moderada. Foram mais de 1.500 questionários validados, provenientes de 61 cidades brasileiras.

A escala relaciona nove fatores inerentes à resiliência: autoeficácia, solução de problemas, temperança, empatia, proatividade, competência social, tenacidade, otimismo e flexibilidade mental. Com o teste, é possível descobrir quais os pontos mais fortes e o os mais fracos do profissional e trabalhá-los separadamente. “O mais crítico é a autoeficácia, que está associada à autoconfiança e a autoestima. São crenças muito profundas e enraizadas no indivíduo”, explica.

Dentre os que apresentaram resiliência moderada, foi possível detectar dois arquétipos: o masculino, que consegue controlar melhor as emoções e se sobressai em tenacidade e solução de problemas, e o feminino, que apresenta melhor pontuação em quesitos como empatia e articulação de apoio social, perdendo na questão temperança, que pode ser entendida como “sangue frio”.

Na opinião de Sabbag, a resiliência não deveria ser usada como filtro em um processo seletivo, uma vez que pode ser desenvolvida com as ferramentas adequadas – embora a grande maioria dos recrutadores e especialistas em RH prefira pessoas que apresentam naturalmente essa característica.

O professor ressalta que somos resilientes desde que nascemos. Uma criança de dois anos, por exemplo, recupera-se rapidamente de um tombo e não fica remoendo problemas ou mágoas. Além disso, ela é curiosa, proativa, tem empatia com animais e seres humanos. “Isso é necessário para o nosso bom desenvolvimento. Quando a vida progride, no entanto, as emoções se tornam mais complexas, ficamos mais vulneráveis a perdas e mais abalados com as derrotas.”

Sabbag ressalta que, por serem formadas por indivíduos, empresas e sociedades também podem se tornar mais resilientes. Organizações transparentes, preocupadas com a ética e que têm líderes admirados, canais de comunicação desenvolvidos, vínculos com a comunidade e valores bem definidos, por exemplo, conseguem se recuperar de crises mais facilmente. “Elas conseguem reagir rapidamente, aprender com o ocorrido e fazer as coisas voltarem ao normal sem grandes danos, restabelecendo seu valor de mercado, sua imagem e sua credibilidade”, afirma.

O Japão, por sua vez, é um bom exemplo de sociedade com alta resiliência – basta analisar como o país se comportou diante do terremoto seguido de tsunami em março. “Existe um esforço conjunto e imediato de todos para controlar e reverter a situação. Para isso, é necessário ter instituições sólidas e envolvimento do governo. Os fatores são mais sistêmicos e complexos”, explica.

Rir é o melhor remédio….

Rir é o melhor remédio, realmente acredito nisso. E este vídeo reuniu vários tipos de risadas: as fofas de bebês, as de quem cobre o rosto com a mão ao sorrir, as de Mutley, os risos largos, as gargalhadas, as que nos derrubam no chão, as que fazem a gente querer mijar nas calças, risos coletivos, solitários, risos que nos tiram o ar e até os que nos fazem tossir …. rir é tudo de bom …. se quiser rir, assista. Afinal, rir é contagiante.

Otimismo

Há quem passe pelo bosque e só veja lenha para fogueira”, Tolstoi. A frase é simples, mas passa uma mensagem incrível. É isso aí, temos de ver as coisas boas da vida, pensarmos e agirmos de forma mais otimista. Não podemos fechar os olhos para o que está além do óbvio, além da nossa compreensão. Precisamos estar abertos.

Achei fofo demais este vídeo. Sonhos são mesmo possíveis de realizarmos. De uma forma ou outra, claro. E como adoro pessoas criativas. O roteiro é bacana e a execução/edição está ótima. Queria conhecer mais pessoas assim pq deve ser ótimo passar uma tarde, jogando conversa fora, com quem tem tantas coisas em mente.

Vale a pena assistir

A entrevista com o Nicholas Sparks é bacana, sobretudo para quem gosta de escrever, como eu. Ele fala sobre as dificuldades que teve no início, nos dois primeiros livros ruins e, sobretudo, sobre a importância de perseguimos nossos sonhos. Muito inspiradora.

No entanto, confesso, me desconcentrei porque, na boa, reparem na mala do autor ahahahah ok, explico melhor: reparem no volume nas calças do autor… quem consegue prestar atenção na entrevista? ahahaha Benzadeus !! Que abençoado ahahaha

Música do Dia

Tudo Diferente – Maria Gadú

Todos caminhos trilham pra a gente se ver
Todas as trilhas caminham pra gente se achar, viu
Eu ligo no sentido de meia verdade
Metade inteira chora de felicidade

A qualquer distância o outro te alcança
Erudito som de batidão
Dia e noite céu de pé no chão
O detalhe que o coração atenta

Todos caminhos trilham pra a gente se ver
Todas as trilhas caminham pra gente se achar, né
Eu ligo no sentido de meia verdade
Metade inteira chora de felicidade

A qualquer distância o outro te alcança
Erudito som de batidão
Dia e noite céu de pé no chão
O detalhe que o coração atenta

Todos caminhos trilham pra a gente se ver
Todas as trilhas caminham pra gente se achar, né
Eu ligo no sentido de meia verdade
Metade inteira chora de felicidade

(2x)
A qualquer distância o outro te alcança
Erudito som de batidão
Dia e noite céu de pé no chão
O detalhe que o coração atenta

Você passa, eu paro
Você faz, eu falo
Mas a gente no quarto sente o gosto bom que o oposto tem
Não sei, mas sinto, uma força que embala tudo
Falo por ouvir o mundo, tudo diferente de um jeito bate

Todos caminhos trilham pra a gente se ver
Todas as trilhas caminham pra gente se achar, viu
Eu ligo no sentido de meia verdade
Metade inteira chora de felicidade

A qualquer distância o outro te alcança
Erudito som de batidão
Dia e noite céu de pé no chão
O detalhe que o coração atenta

Quando a telepatia não funciona

Sim, eu gosto de Osho, já escrevi isso diversas vezes. Todos os dias recebo por email mensagens do mestre. A de hoje é especial e se aplica a todos. De fato o ser humano tem a mania de querer que o outro adivinhe tudo, que nos conheça, que desvende nossos mistérios. ERRADO ! óbvio que isso tá errado. Se nem a gente se conhece, que dirá o outro. Tá em um relacionamento? Quer viver de forma saudável? Então fale para o outro o que sente, quer, deseja, espera. E, mesmo assim, para que tudo dê certo, é preciso conservar nossa individualidade. Afinal, justamente por sermos o que somos é que o outro se apaixonou, não?

Quando a telepatia não funciona

Quase sempre acontece de os casais não deixarem as coisas claras um para o outro. Você espera que o outro vá entender e ele também espera o mesmo de você: ele ou ela acha que você vai entender. Mas ninguém entende!

Não existe comunicação, os problemas nunca são tratados de maneira clara. Você precisa deixar tudo muito claro: “Eu não vou interferir no seu modo de ser, você pode ser o que é – eu amo você e vou continuar amando -, mas e quanto a mim?”. Assim pode-se encontrar um modo de lidar com as dificuldades.

Vocês podem continuar juntos e mesmo assim você pode continuar tendo a sua individualidade e a sua liberdade. Se o casal realmente se amar, eles conseguirão lidar com o problema.

Mas o que acontece é que nunca deixamos as coisas claras para o outro. Continuamos esperando que o outro nos compreenda telepaticamente. Ninguém compreende ninguém telepaticamente! O outro não é clarividente, você tem que ser exato: “Dois mais dois são quatro” – claro desse jeito.

Mas o que acontece é que ninguém fala do problema real.

Osho, em “A Essência do Amor: Como Amar com Consciência e se Relacionar Sem Medo”
Imagem por liquidnight
Publicado no blog palavras de Osho
Visite o site oficial da Osho Brasil

Amigos

Tenho muitos amigos, graças a Deus, e fico aflita quando eles estão aflitos e feliz quando eles estão felizes… Neste momento tenho amigas e amigos em todos os níveis de felicidade: as recém casadas, as casadas e grávidas, as que acabaram de se tornar mães, as que estão dando pulos de alegria porque ficaram solteiras novamente, as que mudaram de emprego, as que estão viajando, as que marcaram a data do casamento, a que acabou de começar um namoro … tenho também as que estão inseguras porque o gatinho não ligou no dia seguinte, a que perdeu o emprego, a que não aguenta mais os mimos do filho. A tristeza só bate quando alguns destes amigos ficam doente, nestes casos, nos resta rezar e confiar. O importante é que tenho amigas para dar e vender e isso é sensacional. Obrigada por tudo !!!

felicidade

Isso é tudo o que sinto hoje e tudo o que sentirei amanhã: FELICIDADE. Sim, a felicidade está nas pequenas coisas, nas mensagens, telefonemas, conversas. Está na nossa memória, nos nossos sonhos, em cada cantinho da nossa casa. Felicidade é um estado de espírito e podemos vê-la e, diversos locais, basta abrirmos os olhos. Eu acordei feliz, e você?