Amigas e rivais

Sim, roubei o título de uma novela cafoninha para escrever sobre amizade. Há algum tempo venho analisando o comportamento de algumas pessoas. Todos sabem que adoro fazer isso. Na verdade, analisar coisas é um dos meus passatempos prediletos. Bem, voltanto ao tema, tenho notado um número crescente de falsas amigas. Elas estão em todos os lugares. Sei lá, parece que, à medida que crescem o número de amigos nos Facebooks da vida, as relações humanas se tornam mais fracas, frágeis e movidas por inveja e falsidade. Nada do que se vê é real.

Coleciono alguns casos. E, olha, nem estou falando de experiências pessoais. Aqui no trabalho, por exemplo, tinha uma menina muito meiga, prestativa, do tipo de que nunca me enganou. Ela vivia dizendo para algumas pessoas “Fulana, quando crescer, quero ser igual a você. Você é tão linda, inteligente, blá, blá, blá whyskas sachê”. Sempre achei isso muito estranho, mas, sabe como é, minha mãe me deu uma boa educação e sempre tratei a tal pessoa com respeito.

Até que esta pessoa resolveu contar que tinha dois namorados e explicava, como se isso fosse o máximo, como fazia pra dar volta nos dois otários. Depois a história ficou pior: a pessoa começou a sair com alguns, isso mesmo, no plural, alguns gerentes casados. E, como a merda era pouca, ela contou que estava saindo com o marido de uma amiga. Sim, isso mesmo, você não leu errado. Além de ter 2 namorados e dar pra vários gerentes, a tal menina-gente-boa-educadinha-com-cara-de-santinha estava tendo um caso com o MARIDO de uma AMIGA. OI? Nem ética a pessoa tem né. Ali, parei de tratar bem a pessoa, fechei a cara mesmo. Este tipo de gente não me interessa.

Aí, caro leitor, você deve estar pensando que a tal menina é linda, gostosa e … nada disso. Uma menina muito da sem graça, sem sal, que se vestia mega tapadinha, passanto praticamente uma imagem de virgem-santa-crente. Pra mim, o cúmulo do mau caratismo era ver a tal menina tomar café da manhã todos os dias na mesa de trabalho da mulher de seu amante, se fazendo de amiga e toda trabalhada na linha “te admiro muito, você é uma mulher muito forte, …”.

Com o tempo, muita observação e conversa com a vítima, descobri que a tal falsa amiga é, na verdade, uma psicopata. Ela queria TUDO da amiga. Queria o trabalho, a casa, o carro, a vida, o marido. Muito triste. Muita doença. Mas, o mal já foi cortado pela raiz e a tal menina não trabalha mais conosco.

Enfim,  este é apenas um dos casos onde a falta de estima subiu à cabeça e deixou a pessoa doida mesmo. Outra coisa que me irrita, e já escrevi sobre isso algumas vezes, é o tipo de amiga que some quando arruma namorado. Pior, some, escolhe uma amiga-vítima e começa a ligar para um grupo de amigos em comum para queimar esta pessoa. Vergonhoso, não? Será que a pessoa não percebe que as outras pessoas do grupo reprovam esta atitude? Que ninguém compra a tal história?

Sabe o que é pior, isso é tudo fruto da insegurança. A começou a namorar B, parou de falar com C, porque C é uma pessoa muito bonita, e daí , sabe como é, bateu um medo de ser traída, então A decidiu ligar pra D, E, F e G pra falar mal de C, que, até então, era uma de suas melhores amigas. Motivo? INVEJA, MEDO, INSEGURANÇA. Tudo isso velado, claro. Jamais, em tempo algum A irá admitir que possui tais sentimentos por C. Acha que C, com sua beleza, vai dar em cima de B.

Na booooa, A não percebe que, se quiser, B pode dar em cima de qualquer letra do alfabeto? Passar o pau e que nada impedirá isso? E que tipo de amiga é A? Do tipo que some quando consegue qualquer namorado, e, pior, do tipo que desdenha dos amigos, que faz de tudo para causar um desconforto em um grupo, que planta inimizades. Do tipo que precisa excluir o cara, tirar ele da frente de qualquer mulher bonita. Sabe como é né, vai que … ah, vai pra porra, né. Insegurança assim deve ser tratada com terapia e, em alguns casos, até com remédios mesmo.

Tem também o caso de mulheres que se sentem ameaçadas pelas amigas do namorado e decidem afastar o cara dos amigas. Que atitude mais infantil. Gentem, medo do passado. Alowww, cada um tem uma história. Eu não me incomodo com o fato de meu namorado ligar para ex, falar com ela e tal. Se ele quisesse mesmo a pessoa, estaria com ela, não? Simples assim. Nunca me incomodei com isso. Nunca exigi que um namorado se afastasse dessa ou daquela amiga, por mais que eu não gostasse de uma ou outra. Bora crescer, meu povo?

Outro caso bastante comum é o de mulheres bonitas, mas inseguras, que tentam a todo custo desmerecer a qualidade de uma ou outra amiga. Ficam caçando defeito mesmo, tentando colocar a outra pra baixo. Algumas, de tão desesperadas, estampam em seus rostos sorrisos cada vez maiores, se tornam as pessoas mais prestativas e solícitas do mundo e, quando podem, apunhalam a amiga pelas costas. E a apunhalada por vir de formas variadas, mas as formas mais comuns são mesmo a intriga e a fofoca. Que vergonha, mulheres. Vocês realmente precisam agir assim? Terapia, por favor. Aliás, o governo federal deveria lançar o bolsa-terapia porque, te contar hein… só tem gente doida por aí.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s