Amigas e rivais

Sim, roubei o título de uma novela cafoninha para escrever sobre amizade. Há algum tempo venho analisando o comportamento de algumas pessoas. Todos sabem que adoro fazer isso. Na verdade, analisar coisas é um dos meus passatempos prediletos. Bem, voltanto ao tema, tenho notado um número crescente de falsas amigas. Elas estão em todos os lugares. Sei lá, parece que, à medida que crescem o número de amigos nos Facebooks da vida, as relações humanas se tornam mais fracas, frágeis e movidas por inveja e falsidade. Nada do que se vê é real.

Coleciono alguns casos. E, olha, nem estou falando de experiências pessoais. Aqui no trabalho, por exemplo, tinha uma menina muito meiga, prestativa, do tipo de que nunca me enganou. Ela vivia dizendo para algumas pessoas “Fulana, quando crescer, quero ser igual a você. Você é tão linda, inteligente, blá, blá, blá whyskas sachê”. Sempre achei isso muito estranho, mas, sabe como é, minha mãe me deu uma boa educação e sempre tratei a tal pessoa com respeito.

Até que esta pessoa resolveu contar que tinha dois namorados e explicava, como se isso fosse o máximo, como fazia pra dar volta nos dois otários. Depois a história ficou pior: a pessoa começou a sair com alguns, isso mesmo, no plural, alguns gerentes casados. E, como a merda era pouca, ela contou que estava saindo com o marido de uma amiga. Sim, isso mesmo, você não leu errado. Além de ter 2 namorados e dar pra vários gerentes, a tal menina-gente-boa-educadinha-com-cara-de-santinha estava tendo um caso com o MARIDO de uma AMIGA. OI? Nem ética a pessoa tem né. Ali, parei de tratar bem a pessoa, fechei a cara mesmo. Este tipo de gente não me interessa.

Aí, caro leitor, você deve estar pensando que a tal menina é linda, gostosa e … nada disso. Uma menina muito da sem graça, sem sal, que se vestia mega tapadinha, passanto praticamente uma imagem de virgem-santa-crente. Pra mim, o cúmulo do mau caratismo era ver a tal menina tomar café da manhã todos os dias na mesa de trabalho da mulher de seu amante, se fazendo de amiga e toda trabalhada na linha “te admiro muito, você é uma mulher muito forte, …”.

Com o tempo, muita observação e conversa com a vítima, descobri que a tal falsa amiga é, na verdade, uma psicopata. Ela queria TUDO da amiga. Queria o trabalho, a casa, o carro, a vida, o marido. Muito triste. Muita doença. Mas, o mal já foi cortado pela raiz e a tal menina não trabalha mais conosco.

Enfim,  este é apenas um dos casos onde a falta de estima subiu à cabeça e deixou a pessoa doida mesmo. Outra coisa que me irrita, e já escrevi sobre isso algumas vezes, é o tipo de amiga que some quando arruma namorado. Pior, some, escolhe uma amiga-vítima e começa a ligar para um grupo de amigos em comum para queimar esta pessoa. Vergonhoso, não? Será que a pessoa não percebe que as outras pessoas do grupo reprovam esta atitude? Que ninguém compra a tal história?

Sabe o que é pior, isso é tudo fruto da insegurança. A começou a namorar B, parou de falar com C, porque C é uma pessoa muito bonita, e daí , sabe como é, bateu um medo de ser traída, então A decidiu ligar pra D, E, F e G pra falar mal de C, que, até então, era uma de suas melhores amigas. Motivo? INVEJA, MEDO, INSEGURANÇA. Tudo isso velado, claro. Jamais, em tempo algum A irá admitir que possui tais sentimentos por C. Acha que C, com sua beleza, vai dar em cima de B.

Na booooa, A não percebe que, se quiser, B pode dar em cima de qualquer letra do alfabeto? Passar o pau e que nada impedirá isso? E que tipo de amiga é A? Do tipo que some quando consegue qualquer namorado, e, pior, do tipo que desdenha dos amigos, que faz de tudo para causar um desconforto em um grupo, que planta inimizades. Do tipo que precisa excluir o cara, tirar ele da frente de qualquer mulher bonita. Sabe como é né, vai que … ah, vai pra porra, né. Insegurança assim deve ser tratada com terapia e, em alguns casos, até com remédios mesmo.

Tem também o caso de mulheres que se sentem ameaçadas pelas amigas do namorado e decidem afastar o cara dos amigas. Que atitude mais infantil. Gentem, medo do passado. Alowww, cada um tem uma história. Eu não me incomodo com o fato de meu namorado ligar para ex, falar com ela e tal. Se ele quisesse mesmo a pessoa, estaria com ela, não? Simples assim. Nunca me incomodei com isso. Nunca exigi que um namorado se afastasse dessa ou daquela amiga, por mais que eu não gostasse de uma ou outra. Bora crescer, meu povo?

Outro caso bastante comum é o de mulheres bonitas, mas inseguras, que tentam a todo custo desmerecer a qualidade de uma ou outra amiga. Ficam caçando defeito mesmo, tentando colocar a outra pra baixo. Algumas, de tão desesperadas, estampam em seus rostos sorrisos cada vez maiores, se tornam as pessoas mais prestativas e solícitas do mundo e, quando podem, apunhalam a amiga pelas costas. E a apunhalada por vir de formas variadas, mas as formas mais comuns são mesmo a intriga e a fofoca. Que vergonha, mulheres. Vocês realmente precisam agir assim? Terapia, por favor. Aliás, o governo federal deveria lançar o bolsa-terapia porque, te contar hein… só tem gente doida por aí.

Anúncios

Viver o hoje

Acabei de voltar da casa da minha amiga. Nooooossa, que bacana. Além de ter voltado a um lugar onde nāo pisava há uns 15 anos, ainda passei horas agradabilíssimas ao lado de amigas fantásticas. Muito bom saber que, apesar do tempo, ainda tenho amigas como essas e saber também que fiz novas amigas. Rimos bastante, inclusive porque uma delas, que hoje é professora no mesmo colégio de freira onde estudáva,os, foi convidada pela diretora a virar freira ahahaha o discurso foi hilário, a freira praticamente disse que ela, já nosnseus 30 e poucos, está velha para casar e ter filhos e que seria muito bom se ela casasse com Cristo ahahahaha gentem, sensacional. De fato, ela ouviu o chamado.

Muito bacana ver outra amiga de colégio grávida de dois meninos. Uma barriguinha tāo foooofaaa.. E, claro, conversamos sobre nossos homens, sobre nossos sonhos, decepções, planos para o futuro, ah, o futuro… O que será que nos está reservado?? Vai saber né. O importante é viver o hoje porque o hoje é tudo o que temos.

Fim de semana mais que agitado

Nossa, fazia tempo que eu não passava um fim de semana no Rio tão agitado como este último. Não estou reclamando, até porque foi ótimo, mas to precisada de uns 2 dias de descanso rs. Na sexta, como adiantei aqui, foi o casamento da minha amiga Patrícia e do meu amigo Cláudio. Nossa, foi tudo tão lindo, perfeito.

Faz uns 3 meses, a mãe desta amiga faleceu  e a festa, que poderia ter tudo para ser desanimada, foi sensacional. Amigos e familiares estavam tão felizes pelo casamento, por saberem o que a cerimônia significava para o casal, que vibraram tão positivo… foi mágico. A energia estava fantástica e precisei reunir todas as minhas forças para não desabar de chorar durante a entrada da minha amiga. Segurei tão firme que só chorei no fim, quando fui abraçar os noivos. Caraca, quem me conhece pode imaginar o esforço que fiz rs…

Foi uma cerimônia de muitas emoções, de laços fortes, de esperança. A juíza foi tão perfeita em suas palavras. Nunca fui a um casamento em que as palavras encaixassem tão perfeitamente. Não tenho como reproduzir tudo aqui, mas jamais esquecerei que relacionamentos são para pessoas fortes. Os fracos não têm esta coragem, não se entregam, não compartilham, têm medo da felicidade. Super concordo com esta teoria. Casar, constituir uma família, algo sólido, de verdade, não é pra todos.

Depois da cerimônia, dancei tanto, mas tanto que meus pés estão ferrados até hoje. A decoração toda em tons de rosas, com direito a lustres de cristal e um bolo mega fofo. A comida, a bebida, a música… estava tudo perfeito. Sem contar com a felicidade dos noivos. Eles transbordavam amor, era aparente, e isso é tão difícil de se achar hoje em dia.

PS: preciso registrar também meu primeiro dia da noiva. Isso mesmo: não casei, mas usufrui deste benefício. A noiva convidou a mim e a outras duas madrinhas para passarmos a tarde com ela, nos arrumarmos na casa dela e também ajudá-la a se arrumar. Até massagem recebi. Um luxo !!! Somos um bando de desajeitada, claro, que mal sabíamos como vestir a noiva: por cima? por baixo? Bem, deu tudo certo e ela ficou linda. To doida para ver as fotos e o vídeo.

PS2: Senti falta do meu gatinho. Ele tinha que ter viajado uma semana depois 😦

A importância de cultivar amigos

Eu, Cacá, Mari, Cláudia e Carol
Eu, Cacá, Mari, Cláudia e Carol

Dá para perceber que esta foto é antiga. Deve ser lá de 1997. Isso mesmo. Tempos de papo no pilotisda PUC e, claro, de muitas amigas. Horas e horas de bobeira pura. Muito bom.  Por sorte, digo com orgulho, mantenho contato com todas que estão nesta foto. E, acredite, ainda tá faltando gente. Certamente a Bianca estava fazendo a foto. Tá faltando ela no enquadramento! Que saudades desta época.

Minha vida tinha mudado tanto e em tão pouco tempo. A perda do meu pai, o ingresso na faculdade, as dificuldades financeiras.   Mas, caralho, que bom, eu fiz boas amigas. Gente parceira, que estava e está sempre por perto. Companheiras com as quais divido confissões, trabalho, angústicas e risos. Amo muito todas!!

PS: Nem preciso mencionar o quanto engordamos de lá pra cá né. Com a idade a gente ganha um pouco mais do que maturidade. Foda !

Coisas pequenas e suas inutilidades …

Sou uma mulher baixa, isso é um fato. Mas, ser baixa não implica em nada, não causo nenhum mal estar nos outros. Nada mesmo. Homens baixos também não costumam ser um problema (não são os meus favoritos, mas dá para encarar rs). Agora, algumas coisas na vida não podem ser pequenas. De jeito algum. Entre as quais está o pênis humano. Isso mesmo. Homem de pau pequeno é foda. Se ele for baixo é ruim. Se for alto, pior ainda. Sim, pq espera-se que um cara enorme tenha pau de normal para grande. É o mínimo, abusando do trocadilho rs.

Sei que já escrevi sobre isso. O tema é recorrente, mas volto a ele a pedido de uma amiga querida. Ela está aflita. A moça, que é linda e simpática, está saindo com um cara também muito bacana e bonito. Juntos, são daqueles casais de se admirar a beleza.

O problema é que eles ainda não transaram e ela está um pouco aflita. Entendo perfeitamente. Sempre acho que caras que enrolam para transar têm o pau pequeno ou ejaculação precoce. Parece que o cara quer primeiro fazer com que a mulher se apaixone, para depois mostrar a diminuta documentação.

E ela tem mais motivos para estar intrigada. Da última vez que ficaram juntos, trocaram beijos calorosos, muitos amassos e ela não sentiu nada. Isso mesmo, nada, nada. Normalmente, quando o cara tem o pinto do tamanho usável, a gente percebe. Como não sentir aquele objeto duro, cortante, querendo sair da calça de um homem? Total indício de pau pequeno. As outras possibilidades seriam: ser brocha ou travesti e amarrar o pau pra dentro do cú.

Já deu para perceber que minha amiga vive um drama. E vocês, caros leitores, podem achar que ela é fresca. Na verdade, ela é traumatizada por um cara mega alto e parrudo que ela pegou e que tinha um pau, como descrever…, daqueles que é preciso usar lupa, dos que nem camisinha serve.

Outra amiga também passou por situação semelhante no Carnaval. Pegou um gatinho e decidiu dar para ele. Assim, de cara mesmo. Na hora do vamos ver, já deitados na cama do hotel, começaram o pega aqui e ali. Desespero !!! Ela não encontrou quase nada. Chegou a rir. Eis o relato dela: “Amiga, quando vi que a situação seria difícil, prendi o riso e pensei ‘melhor ficar em cima'” E assim ela o fez. Claro, menina esperta. Sabia que se esperasse gozar em outra posição ficaria a ver navios.

Vocês, homens, podem até achar escroto este post, mas, na boa, é bem decepcionante encontrar com algo assim. Tenho outra amiga que defende a tese de que homens com paus mega pequenos deveriam avisar. Diz ela “Se eu tivesse o peito megacaído, diria para ele que meu peito é feito. Se ele tem o pau diminuto, deve avisar que não tem material grande”.

Não acho que seja o caso do cara avisar. Sei lá, ele pode usar de outros atributos. Para terminar a história mais bizarra de todos os tempos. Outra amiga não perdeu tempo ao se deparar com um pau bem pequeno. Além de rir na cara do maluco, o que, a meu ver, foi 100% desnecessário, ela ainda mandou “Melhor vc vestir a roupa pq não vai rolar de jeito algum”. Isso mesmo, ela teve a coragem de dizer para o cara que não iria dar para ele pq o pau dele era bem pequeno. Escroto, mas engraçado vai rs.

É possível ter tudo na vida?

Amor, saúde, dinheiro, felicidade, paz interior. É possível ter tudo isso na vida ao mesmo tempo? Para uma amiga não. Ela diz, de forma bem resignada, que está muito satisfeta no amor. Finalmente, passado longo e tenebroso inverno, ela tem um namorado bacana e está apaixonada. No entanto, a moça passa agruras no trabalho. Depois de reclamar, eis que ela manda “Também, né, não dá pra ter tudo na vida”.

Como não??? Claro que dá. Eu já tive e afirmo com todas as letras: É POSSÍVEL TER TUDO NA VIDA. Claro que tudo o que é bom dura pouco (o que é ruim tb). Não dá pra manter 100% de euforia, com tudo na vida no devido lugar, por anos a fio (bem, pelo menos é o que acho, até pq, se assim fosse, viver seria chato pra caralho), mas é possível encontrar o perfeito equilíbrio entre amor, trabalho, sucesso e realização pessoal.

Minha gente, não vamos desanimar. O emprego tá ruim, muda. O coração tá vazio, preencha. A vida tá sem cor, faça novos amigos, vá a um templo budista ou mesmo à Igreja Universal. Move yourself !!! Parte da nossa felicidade (boa parte) depende de nós. Nada de conformismo.

É fácil reclamar e ficar parada. Sei lá, tenho amigas que reclama há anos de seus respectivos empregos. Algumas odeiam o que fazem. Não consigo entender pq não vão atrás de outra coisa que lhes dê satisfação. Façam como Cacá que fez outra faculdade. Sim, leva tempo. Pode durar até 4 ou 5 anos, mas acaba. O que não dá para tolerar é uma situação prolongada de inastisfação pessoal.

O namorado é um escroto? O marido te trai? Se vira pra dar o pé na bunda dele o quanto antes. Sei que não é fácil tomar este tipo de atitude, mas não dá para ficar congelado frente às dificuldades. É cômodo reclamar de braços cruzados. Sei lá, comodismo me incomoda muiiiito. Sempre incomodou.

Aliás, não consigo mesmo lidar com gente assim. Me dá aflição. Sei que já estou mudando o rumo do post. Melhor parar por aqui antes que eu escreva mais que o desejado…