Que horas ela volta?

filme

Sábado Well e eu fomos ao cinema assistir ao festejado ‘Que horas ela volta?’ e, sinceramente, o filme é mesmo isso tudo o que estão falando. É sensível, bonito, crítico e fiel. Impossível, sendo brasileiro, não conhecer nenhuma Val, a personagem de Regina Casé, que se mudou para São Paulo a fim de dar melhores condições de vida para sua filha Jéssica.

Ao longo dos meus 38 anos posso dizer que conheci,ao menos umas 10. To falando daquelas com quem convivi mesmo, das que foram empregadas da família, de vizinhos, parentes. São muitas Vals neste país. Não vou ficar aqui contando o filme, mas recomendo que assistam e façam uma boa reflexão sobre como tratamos as pessoas, sobre como educamos nossos filhos e sobre o que esperar de uma sociedade que age como os patrões da Val no filme.

Se você é do tipo que quer ir ao cinema,mas não quer pensar a respeito, vá assim mesmo. Vale a pena conferir a atuação de Regina Casé. Totalmente fora da caixinha, ela dá um show de interpretação.

Anúncios

Dica de filme: “Enquanto somos jovens”

Sábado, Wellington e eu passamos o dia em SP e aproveitamos para assistir ao filme “Enquanto somos jovens”, em cartaz no Belas Artes, e é impossível não recomendar. Não sei se é porque estou chegando aos 40 (faltam 2 anos) ou se o filme é bom mesmo, só sei que é impossível não se identificar com o filme, sobretudo com algumas partes. O filme é mesmo um tapa na nossa cara e nos revela algumas coisas:

  • Todo mundo envelhece. Aceite
  • Temos idades certas para fazermos algumas coisas
  • Para outras tantas coisas, somos livres, independente da idade. Temos que aproveitar nosso curto tempo na terra e curtir
  • Ter um parceiro em sintonia com nossas vontades e desejos torna a vida mais leve e divertida
  • A gente não precisa violentar nossa essência para ser aceito em alguma turma. Temos que respeitar nossos limites

Ok, tá achando que estas lições servem para tudo, né? E servem mesmo. Estou sendo mais enigmática porque não quero revelar o filme. Mas, fica a dica, vá ao cinema e divirta-se.

Sobre cinema…

…. acho que todo mundo já comentou, mas não vou deixar passar em branco. O filme “A culpa é das estrelas” é muito emocionante e precisa ser visto por todos. É sensível na medida para nos fazer chorar, pensar, sofrer e até rir. Os atores estão muito bem, o filme é bem dirigido e o roteiro é impecável. Quem me conhece deve imaginar que me acabei de chorar. E é verdade rs. Impossível não se identificar com as histórias dos personagens. O cinema inteiro veio abaixo. Pronto, isso é tudo o que falarei. Prometo não estragar o filme de ninguém rs.

Para compensar tantas lágrimas, no dia seguinte me acabei de rir com o filme “Vizinhos”. Não vou ficar aqui contando o roteiro. Me limitarei a dizer que é divertido na medida. Garantia de boas risadas. Aproveite!!!

Filmes e vida: o bem e o mal

Preciso comentar sobre os dois filmes que vi neste recesso de fim de ano: Detona Ralph e De Pernas para o Ar 2. O primeiro é uma graça, com ressalvas. O segundo pretendia ser engraçadinho, mas é um horror. Explico:  Detona Ralph é fofo, tem personagens encantadores, um roteiro bem escrito, cenas bem desenvolvidas, mas… pois é, sempre tem um mais que me incomoda. Neste filme o que me incomodou foi a ‘mensagem’ deixada.

Não pretendo contar o filme todo, mas quem já viu o trailler sabe que  Ralph está cansado da vida de vilão, do cara que nunca ganha medalha, que não é reconhecido, que não tem amigos e vive excluído da sociedade. Pois bem, Ralph passa o filme buscando o reconhecimento, a tal medalha e, no fim, conclui que ser vilão é importante, que ele tem um papel fundamental. E fica feliz por isso. Ora bolas, que saco.

Ou seja, o filme passa a clara mensagem de que não é ruim ser mal, desde que se tenha um propósito. Como assim?? É legal ser mal, ir pra guerra e matar um monte de gente em nome da paz. É isso? É legal ser mal e caçar este ou aquele que representa uma ameaça à humanidade…. simplesmente é legal ser mal. O mal tem seu papel e é acolhido no personagem cativante de Ralph, o bom vilão. Isso me incomodou num grau que não vou ser capaz de detalhar. Bem, talvez seja mesmo legal ser mal, mas ainda não sei lidar com isso, não sei lidar com minha porção má… pode ser por isso que o filme tenha me incomodado. De qualquer forma, recomendo. A animação é encantadora.

Já o De Pernas para o Ar 2 … bem, se puder, fuja. O filme é a maior roubada. Tem uma ou duas piadas engraçadinhas e só. Olhei diversas vezes pra cara do meu namorado e ele estava tão entendiado quanto o casal que sentou ao meu lado. As cenas rodadas em NY pareciam ter como propósito fazer de Ingrid Guimarães a nossa Carrie Bradshaw. Até as tomadas pelas ruas são similares às muitas do seriado Sex and The City, incluindo os cortes. Enfim, apesar de ter bons atores, o filme é ruim, com piadas repetidas, sem criatividade… não acredito que vá fazer tanto sucesso quanto o primeiro da série e, sinceramente, espero que não rodem um terceiro.

 

Batman e o crime de Colorado

Outro caso que choca a todos (sim, espero que a guerrana Síria choque as pessoas), e não seria diferente comigo, foi o de James Holmes (nome cinematográfico, não?) que atirou e matou 12 pessoas em um cinema em Colorado e deixou 58 feridas e traumatizadas para sempre.

Ontem Holmes foi apresentado ao tribunal e, como era de se esperar, não disse o motivo para tal crime. Simples: não há motivo que justifique tal crime. É maldade pura e simples.

O que levaria um estudante de neurociâncias, com 24 anos e toda uma vida pela frente, a cometer tal absurdo? Sei lá, jamais entenderei o ser humano.

Confesso que não sou muito fã desse tipo de filme e o crime no cinema me deixou ainda mais desanimada. Mas, sabe como é, meu namorado viu o filme e disse que é o máximo e tal, que preciso ver e… sei lá, vou pensar. Acho difícil entrar numa sala de cinema para ver Batman e não lembrar do caso de Colorado. Uma lástima.

Cinema

Alá, foi só reclamar que não via um filme há um tempo e assisti a três: Riscado, que faturou o prêmio de melhor atriz no Festival do Rio, Lixo Extraordinário, que me fez repensar todas as minhas teorias sobre reciclagem de lixo, e Coincidências do Amor, mega água com açúcar pra mulherzinha.

Qual gostei mais? Bem, são completamente diferentes. Riscado fala, basicamente sobre rejeição. Conta a história de uma atriz na luta por sucesso, reconhecimento e realização profissional. Busca fracassada, claro, com inúmeras situações de rejeição e, talvez por isso, acho que o tema cativa bastante o público. Impossível assistir e sair imune. Faz a gente pensar sobre nossas próprias pequenas frustrações. Vale muiiiito a pena assistir.

Lixo Extraordinário é um documentário que acompanhou Vik Muniz por dois anos no lixão de Gramacho. Os personagens fizeram toda a diferença, é verdade, e o trabalho dele como artista é lindo. Em alguns momentos do filme senti um certo nojo, talvez de mim mesma, pq é chocante assistir toneladas de lixo sendo despejadas em cima de pessoas que já perderam, ou nunca tiveram, quase tudo, mas que esbanjam dignidade. Muito tocante e me fez repensar como trato o lixo aqui em casa, em como nossa sociedade ignora esta questão de extrema importância para a sustentabilidade do planeta. e, acreditem, o filme não é ecochato e passa longe disso. Recomendadíssimo.

Já o Coincidências do Amor só vale a pena assistir se você estiver precisando de uma dose extra de romantismo e babaquice em sua vida. É daqueles filmes que prezam pelo final feliz feminino e que, aos primeiros cinco minutos, você já sabe como será o final. Vi ontem, não me apaixonei, mas sei que muitas amigas vão amar sobretudo por reforçar este ideal de que é possível ser feliz com apenas um amor. Recomendado apenas para as solteironas que insistem em acreditar em alma gêmea.

 

Se beber,…

… não case. Sim, este filme é foda. Tem muito lugar comum, mas é divertido. Geral já tinha recomendado e, na quinta, eu e Kadu decidimos assistir. Nossa ! demos muitas gargalhadas. Saí do cinema quase me mijando. nÃo do filme, mas do Kadu. Ele ria tanto,mas tanto,que eu já ria dele.

 Claro que ele saiu do cinema afirmando que passará sua despedida de solteiro em las Vegas. Ok Ok, não sou boba pra contrariar né rs. Até pq a minha, aposto, será mais animada. Já tá tudo combinado com a grande organizadora de ventos Claudinha. Será ums grande festa em alto mar.Ou seja, quem entrar no barco terá que topar tudo, caso contrário… mar !!!! rs

PS. Por falar em Claudinha, ela hj está na Nova Zelândia. Que tuuudo !

Ontem…

filme

… para fugir do trânsito por causa da mega chuva, decidi assistir ao fime “A verdade nua e crua”. Bem, o que dizer… é muiiito mais ou menos. Filme de mulherzinha mesmo. Não é necessário pensar, as risadas são escassas, mas, de qualquer forma, é melhor ficar duas horas no ar condicionado do cinema a encarar o trânsito pesado. Só recomendo nestas ocasiões.

Filmes….

pinkpanther-300-1006…. esta semana vi mais dois filmes. Beeeemmm opostos. O primeiro foi “O Casamento de Rachel”. Eu, desavisada, não li a sinopse, e pensei que iria encontrar um filme bacaninha, bem light, típico dos longas ‘para mulher’. Algo que falasse sobre casamentos e blá, blá, blá. Quebrei a cara. O filme é ótemo e não tem nada de água com açúcar.

Lembrava tanto de uma amiga em algumas cenas (já falei isso pra ela). O filme narra a história de uma família cansada dos transtornos causados por Kym (Anne Hathaway). Ela, que é irmã da noiva, tem permissão para sair da clínica de recuperação para os longos festejos. São discussões atrás de discussões. Não vou contar o motivo central para não estragar a graça de quem ainda não viu o longa. Vale a pena.

O único momento non sense é durante a festa. Sério, eu e Cláudia demos gargalhadas. A festa era temática, do tipo indiana, mas apareceu uma bateria e falsas mulatas sambando. Assim, do nada, 100% fora do contexto. OK OK. A risada deu uma aliviada !!!

Falando em riso… o outro filme que vi foi “A Pantera Cor de Rosa 2”. Não vi o primeiro, mas e daí? Aposto que não faz a menor diferença. Sei que a proposta do longa é causar risadas. Mas, em mim …. bem, este não foi o efeito desejado. Sério, não lembro de ter gargalhado em nenhuma cena. Se o que vc gosta é besteirol, ok ok, vá até a sala mais próxima e perca duas preciosas horas da sua vida vendo… nada !

O Leitor

Dentre os filmes que vi esta semana destaco “O Leitor”. OK Ok, mais do que óbeveo. A atuação de Kate Winslet é mesmo foda. Oscar merecido. O roteiro é bom, os atores idem.

Impressionante pensar que uma pessoa poderia passar 20 anos na cadeia por vergonha de admitir que não sabe ler e escrever. E por, só no tribunal, ter noção exata dos crimes cometidos e de sua participação. Comovente também a relação dos personagens principal. Da leitura dos livros, das fitas… não vou contar tudo, estou me contendo, porque sei que algumas pessoas ainda não assistiram. Tá aí uma boa sugestão para o finde.